TRANS. DO PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO PECUARIA EM 19/11/2009

TRANS.  DO  PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO  PECUARIA EM  19/11/2009
ALDO VARGAS

TRADIÇÃO E CULTURA

teixeirinha

Loading...

gildo

Loading...

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA AMADA.

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA  AMADA.

Pesquisar este blog

CAPITAL GAUCHA PORTO ALEGRE

CAPITAL GAUCHA  PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

TROPEIRO VELHO

  • TROPEIRO VELHO

TRADIÇÃO E CULTURA

A VOCE CARO VISITANTE E UM PRAZER TER AQUI VISITANDO ESTE BLOG DESTE GAÚCHO, QUE NÃO TEM LADO PARA CHEGAR, GOSTO DE UMA AMIZADE E UM BOA CHARLA, TRATO TODOS COM RESPEITO PARA SER RESPEITADO MAS SE FOR PRECISO QUEBRO O CHAPEU NA TESTA PRA DEFENDER UM AMIGO AGARRO UM TIGRE A UNHA. AGRADEÇO A TODOS QUE DEIXAM SEU RECADO, POSTADO NESTE BLOG.

GALPÃO GAUCHO

GALPÃO  GAUCHO

A BANDEIRA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, TE AMO MEU RIO GRANDE

A  BANDEIRA  DO  ESTADO  DO  RIO GRANDE  DO  SUL,  TE  AMO  MEU  RIO  GRANDE

quarta-feira, 14 de março de 2012

TARSO QUER RESOLVER QUESTÕES SALARIAIS DAS CATEGORIAS ATÉ JUNHO .


Tarso quer resolver questões salariais das categorias até junho

O governador gaúcho Tarso Genro disse que todos os projetos que tratam de valorização e recomposição salarial para o funcionalismo serão enviados até o final de março para a Assembleia Legislativa. Ele considera que as propostas, avaliadas pelas pastas da Fazenda e Administração, serão apreciadas pelosparlamentares ou decretadas pelo Executivo ainda no primeiro semestre. “Queremos resolver todas as questões salariais até junho”, falou em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (14), na Federasul, onde Tarso palestrou aosempresários sobre Infraestrutura e Desenvolvimento.
Segundo o governador, além das categorias, o tema da previdência também está sendo paralelamente estudado e deverá ser encaminhado para o legislativo este mês. Sobre os atritos na relação com os professores, ele fala que a dificuldade no diálogo com o sindicato é o principal fator que coloca o tema em evidência. “O Cpers não tem diálogo conosco, fala sozinho. Nós estamos informando ao magistério nossa intenção de aprovar o nosso projeto semana que vem”, disse sobre a oferta de reajuste de 23,41% que considera o melhor proposto no país.
A recomposição gradual é a forma com que o governador reitera sua posição de conseguir cumprir a Lei Nacional do Piso do Magistério. “Eu nunca disse que iria pagar no primeiro ano de governo. Farei isso até o final do mandato”, salientou. De acordo com o chefe do executivo, a decisão pelo adiamento da proposta na AL, prevista para votação nesta terça-feira (13), foi em respeito à greve nacional da categoria. “Mas queremos aprovar nossa proposta na semana que vem”, garantiu.
“No percentual de correção por três anos como estamos oferecendo, significa aumento real de 55 a 60 %. Não é qualquer estado que oferece isso. Tem que ser um estado que respeita muito o magistério, como nós respeitamos”, falou. Tarso acusou o Cpers de traficar informações que são acolhidas pela imprensa sobre os compromissos firmados com os professores durante a campanha eleitoral. “Nós enviamos um documento ao Cpers que diz que faremos isso até o final do governo. Nós só retiramos o projeto esta semana para não fazer provocação”, afirmou.
“Nós não podemos atacar todos os frontes ao mesmo tempo”, falou TarsoNo bojo dos cálculos do governo gaúcho para cumprir com os compromissos salariais das categorias, o parecer sobre o teto salarial do funcionalismo é outro assunto polêmico. Tarso disse que está sendo estudada a proposta e que o governo deverá ter uma decisão por meio de parecer normativo ou decreto, para evitar o desgaste na Assembleia. “Não podemos atacar todos os frontes ao mesmo tempo,sob o risco de não resolvemos profundamente cada um deles”, justificou.
Na oportunidade, Tarso Genro também reforçou aos jornalistas a estratégia do governo em unir forças com outros estados para enfrentar o tema da dívida pública com a União. Ele anunciou para o dia 20 de abril uma reunião em Gramado com os governadores Raimundo Colombo (SC), Sérgio Cabral (RJ) e Jacques Wagner (BA) para discutir o assunto. Ele espera aprofundar a discussão e tirar uma alternativa a ser proposta para o governo federal e que permita ações reais ainda no segundo semestre. “Essa é nossa intenção. Na política e nas iniciativas públicas tempo é algo arriscado”, disse.
Segundo Tarso, a conjuntura econômica global também pode interferir na estratégia dos estados e recordou a influencia da crise européia em 2011. “Nós não pretendemos que essa questão cause qualquer desequilíbrio, qualquer violação de lei, de qualquer acinte a responsabilidade fiscal. Mas nós estamos convencidos de que isso é necessário e é possível de ser feito”, falou sobre o enfrentamento da dívida.
Rachel Duarte

Um comentário:

Arquivo do blog