TRANS. DO PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO PECUARIA EM 19/11/2009

TRANS.  DO  PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO  PECUARIA EM  19/11/2009
ALDO VARGAS

TRADIÇÃO E CULTURA

teixeirinha

Loading...

gildo

Loading...

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA AMADA.

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA  AMADA.

Pesquisar este blog

CAPITAL GAUCHA PORTO ALEGRE

CAPITAL GAUCHA  PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

TROPEIRO VELHO

  • TROPEIRO VELHO

TRADIÇÃO E CULTURA

A VOCE CARO VISITANTE E UM PRAZER TER AQUI VISITANDO ESTE BLOG DESTE GAÚCHO, QUE NÃO TEM LADO PARA CHEGAR, GOSTO DE UMA AMIZADE E UM BOA CHARLA, TRATO TODOS COM RESPEITO PARA SER RESPEITADO MAS SE FOR PRECISO QUEBRO O CHAPEU NA TESTA PRA DEFENDER UM AMIGO AGARRO UM TIGRE A UNHA. AGRADEÇO A TODOS QUE DEIXAM SEU RECADO, POSTADO NESTE BLOG.

GALPÃO GAUCHO

GALPÃO  GAUCHO

A BANDEIRA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, TE AMO MEU RIO GRANDE

A  BANDEIRA  DO  ESTADO  DO  RIO GRANDE  DO  SUL,  TE  AMO  MEU  RIO  GRANDE

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

SÓ FALTAVA ESSA PARA COMPLETAR COMPROVADO QUE OFICIAL NÃO DEFENDE PRAÇA.


Greve da PM: Ex-capitão do BOPE enaltece militarismo e diz que governo do RJ é “exemplo a ser seguido”
Se o regime militar é tão bom assim, por que não o expandimos para os demais setores da sociedade?

Vemos como positivas as participações de Rodrigo Pimentel, ex-capitão do BOPE-RJ, nas edições do Bom Dia Brasil, da Rede Globo. A nosso ver, na maioria dos casos ele destaca as ações positivas da Polícia Militar (o que não deixa de ser ‘limpeza de imagem’ da categoria) e aqui-acolá versa sobre as dificuldades enfrentadas pelos policiais, como a questão dos baixos salários.
Mas na manhã desta segunda-feira (13), a nosso ver ele foi infeliz. O capitão Nascimento da vida real falou sobre as conseqüências da greve na Bahia, disse que as paralisações levam qualquer estado ao caos e afirmou que “só quem sofre é a população”, o que seria uma injustiça.
O ex-PM se esqueceu de dizer que a segurança pública do país – ou seja, o ambiente de trabalho dos policiais – está um caos há muito tempo, as rodadas de diálogos com os governos não resolveram absolutamente nada e só quem sofre são os profissionais da área e suas famílias. É justo?
Na nossa humilde opinião, o pior momento do seu comentário é quando ele “exalta” o regime disciplinar do militarismo e o Código Penal Militar, dois artifícios de domínio absoluto e supressão psicológica sobre aqueles que vão lhe ‘abordar’ nas ruas, prezado leitor.
Ora, se o militarismo é tão eficiente assim, por que não o implantamos nas escolas e universidades? Professores bem que poderiam ser presos, caso ousassem qualquer movimento grevista. Ou educação não é setor extremamente essencial à sociedade?
O mesmo deveria valer para médicos. É absolutamente inaceitável que um profissional deixe um ser humano morrer à míngua no corredor de um hospital, alegando precárias condições de trabalho e/ou salários injustos. Vamos começar a prender os doutores?
Não caminhemos tão longe. Delegados e agentes da Polícia Civil, assim como os servidores do sistema prisional, também deveriam ficar atrás das grades toda vez que, por exemplo, se recusassem a trabalhar nos dia de folga sem receber nada em troca do favor forçado. Não é isso que o senhor Rodrigo Pimentel prega através câmeras da TV Globo nesta manhã?
Bater continência e respeitar o superior não faz mal a ninguém. Ter o direito de reivindicar tolhido e a prisão como resposta resulta naquele ‘tapa na cara’ que muitos PMs ainda praticam no cidadão nas ruas, como reflexo daquilo que lhes é ensinado como “função essencial”.
O comentarista global sabe muito mais do que nós que o regime militar nas polícias adota um caráter opressor, ultrapassado, ditatorial e absolutamente nocivo à segurança pública do país, quando os altos comandantes – e os governantes, claro – resolvem folheá-los em momentos oportunos.
Se alguém duvida, procure qualquer especialista nos valorosos bancos acadêmicos/universitáiros e converse sobre o assunto, antes que eles sejam proibidos de manifestar seu pensamento (como ocorre com os policiais militares).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog