TRANS. DO PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO PECUARIA EM 19/11/2009

TRANS.  DO  PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO  PECUARIA EM  19/11/2009
ALDO VARGAS

TRADIÇÃO E CULTURA

teixeirinha

Loading...

gildo

Loading...

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA AMADA.

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA  AMADA.

Pesquisar este blog

CAPITAL GAUCHA PORTO ALEGRE

CAPITAL GAUCHA  PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

TROPEIRO VELHO

  • TROPEIRO VELHO

TRADIÇÃO E CULTURA

A VOCE CARO VISITANTE E UM PRAZER TER AQUI VISITANDO ESTE BLOG DESTE GAÚCHO, QUE NÃO TEM LADO PARA CHEGAR, GOSTO DE UMA AMIZADE E UM BOA CHARLA, TRATO TODOS COM RESPEITO PARA SER RESPEITADO MAS SE FOR PRECISO QUEBRO O CHAPEU NA TESTA PRA DEFENDER UM AMIGO AGARRO UM TIGRE A UNHA. AGRADEÇO A TODOS QUE DEIXAM SEU RECADO, POSTADO NESTE BLOG.

GALPÃO GAUCHO

GALPÃO  GAUCHO

A BANDEIRA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, TE AMO MEU RIO GRANDE

A  BANDEIRA  DO  ESTADO  DO  RIO GRANDE  DO  SUL,  TE  AMO  MEU  RIO  GRANDE

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Novas perspectivas da mulher na segurança pública Tendo como tema principal "O momento da mulher é agora", teve início na tarde de terça-feira, 7, no auditório da Delegacia Regional de Polícia Civil, em Pelotas, o primeiro encontro da equipe de coordenação do Seminário Internacional Mulheres e a Segurança Pública, composta pela major Simone Kilian Braga e a delegada Patrícia Tolotti Rodrigues, da coordenação executiva, com as servidoras da Brigada Militar, da Polícia Civil, da Susepe e do Instituto Geral de Perícias (IGP), da região Sul. A intenção foi uma maior divulgação e interação do evento a ser realizado em Porto Alegre, no período de 6 a 9 de março. Com o auditório lotado, as profissionais da área da Segurança Pública que integram policiais militares femininas do Comando Regional de Polícia Ostensiva Sul - CRPO Sul, da Polícia Ambiental, do Corpo de Bombeiros, dos Policiais Civis, dos agentes da Susepe e do IGP, discutiram temas como a ascensão ao poder pelas mulheres no Brasil e no mundo, o histórico e o papel das mulheres na segurança pública, com seus avanços e metas pretendidas, formas de enfrentar a violência contra a mulher, entre outros. Na segurança pública, a mulher é hoje agente, sujeito e destinatária das ações. Suas intervenções tornam um ramo árido e difícil mais humanizado. Especialmente rigorosas no cumprimento das normas legais e avessas a corrupção, sua participação nas forças de segurança pública contribui de forma efetiva para o novo paradigma do século 20: inteligência, técnica e competência, atuando sempre com respeito aos direitos humanos e aos grupos vulneráveis. Apesar das diretorias, das chefias e dos comandos serem prioritariamente masculinos, cada vez mais a população vê a importância da mulher na segurança pública. Muitos avanços foram conquistados e há muito o que comemorar, como a primeira mulher presidindo nosso País, a Lei Maria da Penha e a criação da Secretaria de Políticas para Mulheres no Brasil e no Rio Grande do Sul. Porém, existem ainda algumas questões a serem discutidas e tabus a serem quebrados. Jornal Agora Foto Direitos Humanos BM


Novas perspectivas da mulher na segurança pública

Tendo como tema principal "O momento da mulher é agora", teve início na tarde de terça-feira, 7, no auditório da Delegacia Regional de Polícia Civil, em Pelotas, o primeiro encontro da equipe de coordenação do Seminário Internacional Mulheres e a Segurança Pública, composta pela major Simone Kilian Braga e a delegada Patrícia Tolotti Rodrigues, da coordenação executiva, com as servidoras da Brigada Militar, da Polícia Civil, da Susepe e do Instituto Geral de Perícias (IGP), da região Sul. A intenção foi uma maior divulgação e interação do evento a ser realizado em Porto Alegre, no período de 6 a 9 de março.
Com o auditório lotado, as profissionais da área da Segurança Pública que integram policiais militares femininas do Comando Regional de Polícia Ostensiva Sul - CRPO Sul, da Polícia Ambiental, do Corpo de Bombeiros, dos Policiais Civis, dos agentes da Susepe e do IGP, discutiram temas como a ascensão ao poder pelas mulheres no Brasil e no mundo, o histórico e o papel das mulheres na segurança pública, com seus avanços e metas pretendidas, formas de enfrentar a violência contra a mulher, entre outros.
Na segurança pública, a mulher é hoje agente, sujeito e destinatária das ações. Suas intervenções tornam um ramo árido e difícil mais humanizado. Especialmente rigorosas no cumprimento das normas legais e avessas a corrupção, sua participação nas forças de segurança pública contribui de forma efetiva para o novo paradigma do século 20: inteligência, técnica e competência, atuando sempre com respeito aos direitos humanos e aos grupos vulneráveis.
Apesar das diretorias, das chefias e dos comandos serem prioritariamente masculinos, cada vez mais a população vê a importância da mulher na segurança pública. Muitos avanços foram conquistados e há muito o que comemorar, como a primeira mulher presidindo nosso País, a Lei Maria da Penha e a criação da Secretaria de Políticas para Mulheres no Brasil e no Rio Grande do Sul. Porém, existem ainda algumas questões a serem discutidas e tabus a serem quebrados.
 
Jornal Agora
Foto Direitos Humanos BM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog