TRANS. DO PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO PECUARIA EM 19/11/2009

TRANS.  DO  PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO  PECUARIA EM  19/11/2009
ALDO VARGAS

TRADIÇÃO E CULTURA

teixeirinha

Loading...

gildo

Loading...

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA AMADA.

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA  AMADA.

Pesquisar este blog

CAPITAL GAUCHA PORTO ALEGRE

CAPITAL GAUCHA  PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

TROPEIRO VELHO

  • TROPEIRO VELHO

TRADIÇÃO E CULTURA

A VOCE CARO VISITANTE E UM PRAZER TER AQUI VISITANDO ESTE BLOG DESTE GAÚCHO, QUE NÃO TEM LADO PARA CHEGAR, GOSTO DE UMA AMIZADE E UM BOA CHARLA, TRATO TODOS COM RESPEITO PARA SER RESPEITADO MAS SE FOR PRECISO QUEBRO O CHAPEU NA TESTA PRA DEFENDER UM AMIGO AGARRO UM TIGRE A UNHA. AGRADEÇO A TODOS QUE DEIXAM SEU RECADO, POSTADO NESTE BLOG.

GALPÃO GAUCHO

GALPÃO  GAUCHO

A BANDEIRA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, TE AMO MEU RIO GRANDE

A  BANDEIRA  DO  ESTADO  DO  RIO GRANDE  DO  SUL,  TE  AMO  MEU  RIO  GRANDE

segunda-feira, 28 de junho de 2010

ARLINDO COITINHO O SANTANENSE ESCRITOR

Livramento perde escritor do cotidiano da fronteira

O domingo deixou mais triste o meio cultural da fronteira: faleceu na tarde de ontem, aos 67 anos, o escritor Arlindo Coitinho, um dos mais conhecidos autores de contos e romances do Rio Grande do Sul. O escritor morava há cerca de três meses no asilo Mário Motta, onde recebia atendimento e constantes visitas de amigos e familiares.
Com a saúde abalada em razão principalmente de pelo menos dois Acidentes Vascular Cerebral-AVCs, ele vinha exigindo cuidados especiais em todos os sentidos. Amigos do meio intelectual eram os que mais frequentemente o visitavam, ultimamente, contribuindo principalmente para combater a depressão de que o escritor foi acometido nos últimos tempos.
“Quando ao nosso escritor Arlindo Coitinho, que há cerca de três meses lá está internado por sua própria vontade, percebo que sua situação tem se agravado. Estando com a perna e braço direitos paralisados, não consegue mais se movimentar sozinho e é com certa dificuldade que se comunica, embora manifeste o seu contentamento com as pessoas que o visitam”, escreveu recentemente o também escritor Luciano Machado, em artigo publicado por A Plateia, depois de visitá-lo no asilo Mário Motta.
Arlindo Coitinho iniciou na vida literária no final da década de 70, incentivado por amigos e clientes da barbearia que possuia até então. O contato com personagens de diversos segmentos e a condição de “bem-informado” sobre o cotidiano da fronteira o levaram às páginas de A Platéia, onde atuou como repórter-policial até pelo menos a metade da década de 80. O estilo todo próprio de relatar os fatos policiais, abordando principalmente o lado humano dos personagens envolvidos, resultou em uma coluna diária que escreveu em A Plateia, chamada Segue o Baile, geralmente com ilustrações do chargista Fernando Lindote. Daí para o primeiro livro (Segue o Baile), reunindo as crônicas mais engraçadas da coluna publicada no jornal, foi um pulo.
Daí em diante, foram mais de 20 títulos, a grande maioria com lançamento independente. Conseguia apoio para custear a impressão, e depois vendia os exemplares de porta em porta. Lançou, entre outros, “As pragas do Padre Cordeiro”, “Pensão do Barroso”, “Bichicome”, “João Bispo”, “Vidas em fronteira”, “Segue o Baile II”, “Um tal Pardo Rivera”, “É a luta, doutor”, “Estórias do Edil Noventino”, “Habitante da Lua e Outras Histórias”, “O Segredo de Sinhá Filomena” e “Rubirosa e Outras Histórias”.
Arlindo Coitinho foi sepultado no final da tarde, em uma cerimônia simples que contou com as presenças de poucos amigos e dos familiares.

OBS. RETIRADO DO JORNAL ESTA MATERIA, PARA O BLOG COM A FINALIDADE DE DIZER QUE OS HOMENS QUE ESCREVEM TANTAS COISAS BONITA NÃO TEM O RECONHECIMENTO MERECIDO, LIVRAMENTO NUNCA LHE DEU MERECIMENTO QUE MERECIA DESCANSA EM PAZ JUNTO AO CRIADOR.

Um comentário:

  1. NUNCA TEVE O MERECIMENTO NÃO FOI ACEITO NA ACADEMIA DE LETRAS SANTANENSE, PORQUE NÃO ERA ACADEMICO MAIS UM HOMEM DE GRANDE VISÃO SABIA ESCREVER E SEUS LIVROS ERAM SIMPLES MAIS COM MUITO MATERIAL E DIZIA AQUILO COM SIMPLICIDADE, QUE O POVO GOSTA DE LER PALAVRAS DO COTIDIANO PALAVRAS QUE AS PESSOAS ENTENDIAM. NÃO AVIA FRESCURA E NEM RODEIO QUANDO ESPRESAVA NOS SEUS LIVROS, MAIS LAMENTAVEL O BRASIL NÃO DÁ MUITO VALOR NAS PESSOAS QUE ESCREVEM O QUE O POVO GOSTA DE LER. EX NOSSO GAÝCHO PORTOALEGRENSE MARIO UM GENIO CMO VARIAS OBRAS ESCRITAS MAIS NUNCA FOI RECONHECIDO PELA ACADEMIA DE LETRAS DO PAIS, AI QUANDO VEIO O CONVITE ELE NÃO ACEITOU MAIS , FEZ MUITO BEM PORQUE QUANDO A GENTE SÉ ABAIXA ALGO APARECE.

    ResponderExcluir

Arquivo do blog