TRANS. DO PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO PECUARIA EM 19/11/2009

TRANS.  DO  PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO  PECUARIA EM  19/11/2009
ALDO VARGAS

TRADIÇÃO E CULTURA

teixeirinha

Loading...

gildo

Loading...

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA AMADA.

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA  AMADA.

Pesquisar este blog

CAPITAL GAUCHA PORTO ALEGRE

CAPITAL GAUCHA  PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

TROPEIRO VELHO

  • TROPEIRO VELHO

TRADIÇÃO E CULTURA

A VOCE CARO VISITANTE E UM PRAZER TER AQUI VISITANDO ESTE BLOG DESTE GAÚCHO, QUE NÃO TEM LADO PARA CHEGAR, GOSTO DE UMA AMIZADE E UM BOA CHARLA, TRATO TODOS COM RESPEITO PARA SER RESPEITADO MAS SE FOR PRECISO QUEBRO O CHAPEU NA TESTA PRA DEFENDER UM AMIGO AGARRO UM TIGRE A UNHA. AGRADEÇO A TODOS QUE DEIXAM SEU RECADO, POSTADO NESTE BLOG.

GALPÃO GAUCHO

GALPÃO  GAUCHO

A BANDEIRA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, TE AMO MEU RIO GRANDE

A  BANDEIRA  DO  ESTADO  DO  RIO GRANDE  DO  SUL,  TE  AMO  MEU  RIO  GRANDE

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

COLETE A PROVA DE BALA DEIXA DE SER OBRIGATORIO PARA POLICIAL MILITAR


Colete balístico deixa de ser obrigatório para policial militar

Pelo menos é o que anuncia a seção Radar Online, do jornalista Lauro Jardim, da Revista Veja, informando que a Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro passou a permitir que seus policiais atuassem sem colete a prova de balas:
A PM do Rio de Janeiro acaba de abolir uma exigência que vai causar muita estranheza. Desde a semana passada, os policiais não são mais obrigados a usar colete a prova de balas nas operações dentro das favelas. Aliás, boa parte daquelas vestes encontra-se obsoleta ou defeituosa e se a obrigatoriedade do seu uso não fosse abolida muitos PMs poderiam se recusar a ir às ruas sem proteção.

Em sendo verídica a informação – o que não duvidamos – pode-se observar muito bem o cuidado e a preocupação dos governantes brasileiros com aqueles que expõem suas vidas pela segurança pública, já que a intenção da medida é que, simplesmente, os policiais não se recusem (legalmente) a trabalhar sem o colete balístico. Resumindo a intenção da medida em poucas palavras, é melhor arriscar a vida dos policiais do que sofrer o dano político da ausência de policiamento por falta de condições mínimas de trabalho.
Ao tomar conhecimento da nota, o Coronel José Vicente, da Reserva Remunerada da PMESP, ex-secretário nacional de segurança pública, e colega do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, se manifestou através do Twitter:

Decisões como esta fazem a sociedade civil entender as origens da apatia, despreparo e desmotivação dos policiais brasileiros.
Abordagem Policial

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog