TRANS. DO PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO PECUARIA EM 19/11/2009

TRANS.  DO  PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO  PECUARIA EM  19/11/2009
ALDO VARGAS

TRADIÇÃO E CULTURA

teixeirinha

Loading...

gildo

Loading...

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA AMADA.

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA  AMADA.

Pesquisar este blog

CAPITAL GAUCHA PORTO ALEGRE

CAPITAL GAUCHA  PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

TROPEIRO VELHO

  • TROPEIRO VELHO

TRADIÇÃO E CULTURA

A VOCE CARO VISITANTE E UM PRAZER TER AQUI VISITANDO ESTE BLOG DESTE GAÚCHO, QUE NÃO TEM LADO PARA CHEGAR, GOSTO DE UMA AMIZADE E UM BOA CHARLA, TRATO TODOS COM RESPEITO PARA SER RESPEITADO MAS SE FOR PRECISO QUEBRO O CHAPEU NA TESTA PRA DEFENDER UM AMIGO AGARRO UM TIGRE A UNHA. AGRADEÇO A TODOS QUE DEIXAM SEU RECADO, POSTADO NESTE BLOG.

GALPÃO GAUCHO

GALPÃO  GAUCHO

A BANDEIRA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, TE AMO MEU RIO GRANDE

A  BANDEIRA  DO  ESTADO  DO  RIO GRANDE  DO  SUL,  TE  AMO  MEU  RIO  GRANDE

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

OS 174 ANOS DA POLICIA MILITAR GAÚCHA, NO BRIGADA MILITAR.

PARABÉNS PELOS SEUS ANIVERSARIO E QUE TENHAS RECONHECIMENTOS MERECIDO PELA NOSSA SOCIEDADE E PELOS SEUS OFICIAIS QUE COMANDOM ESSA INSTITUIÇÃO QUE MUITAS VESEZ E MALAHADA PELA SOCIEDADE, QUE NÃO COMPRENDE, QUE MUITAS VESEZ SEUS PRAÇAS NADA TEM A VRE COM QUE ESTA ACONTECENDO DEIXAM DE ADENTER OCORRENCIA POR FALTA DE CONBUSTIVEL OU POR FALTA DE POLICIAIS E TUDO RECAI NA POBRE BRIGADA QUE ESTA INOCENTE PORQUE SEUS COMANDANTES ACHAM QUE DEVE DEIXAR PARA MAIS TARDE, E O GOVERNO NÃO DÁ O SUPÓTE QUE A INSTIUTIÇÃO ESTA NECESSITANDO, ASSIM PASSAM OS ANOS E SEMPRE VAI DE PERNAS QUEBRADAS MAIS LÁ ESTA A BRIGADA.
TAMBEM NÃO DEIXAMOS DE HOMENAGEAR ESSES HOMENS QUE HOJE ESTÃO EM CASA DESCANSANDO QUE SÃO OS POLICIAIS MILITARES QUE ESTAÕ NA RESERVA, E SÃO QUECIDOS PELO GOVERNO, E SEUS COMPANHEIRO DE FARDAS DA ATIVA, HOMENS QUE DEIXARAM TODA SUA JUVENTUDE EM PROL DA SEGURANÇA DO ESTADO MUITOS DERAM SUAS VIDAS PARA SALVAR E PROTEGER O CIDADÃO DO BEM. MAIS E COMPLETAMENTE IGNORADO PRO OFICIAIS PRAÇAS, DA PROPRIA INSTITUIÇÃO E DE LAMENTAR QUE ISSO ACONTEÇA NA NOSSA GLORIOSA BRIGADA MILITAR MAIS UM DIA QUEM SABE ISSO POSA MUDAR COM O AUXILIO DA SOCIEDADE EM QUE VIVEMOS. ASS GAUCHO ALDO VARGAS.

FRASES DE CASTELLS SOBRE DEMOCRACIA 2,0

50 frases de Castells sobre democracia 2.0

Resumo feito, a partir do texto do Nós da Comunicação.

Coloquei as 10 que mais me chamaram a atenção na frente:


1. O poder está fundamentalmente em nossas mentes: não fora, mas dentro de nós; .

2. A dominação das mentes é muito mais eficaz que a tortura;

3. Onde quer que haja poder, haverá resistência a ele;

4. Quando os poderes se derem conta de que as praças falam sério – pois ainda não se dão conta disso – reagirão;

5. A única forma de superar o medo é sair da solidão;

6. Medrosos do mundo inteiro, uni-vos pela rede!

7. O medo é a emoção primordial do ser humano;

8. O mais importante não é o que se propõe, mas como se propõe;
9. Estudos mostram que 75% das pessoas votam contra alguma coisa, e não a favor;

10. O mais importante da política mediática não é tanto o que dizem os meios, mas o que eles ocultam: a ausência de mensagens, opiniões e alternativas;
Seguem as outras:

11. As relações de poder são essenciais em todas as sociedades e através da História;

12. Quem tem poder constrói as instituições em função de seus interesses e valores;
13. A única forma de superar o medo é juntar-se com os demais;

14. Em todo o mundo, estamos vivendo uma crise muito séria e profunda da democracia;

15. Um poder que se apóia apenas na violência é sempre débil;

16. O direito à estupidez é um direito humano fundamental, e deve ser respeitado;

17. Toda a sociedade está baseada na capacidade de instigar o medo nas pessoas, e na capacidade das pessoas em superar esse medo;

18. A superação só pode ser feita em grupos, nunca individualmente;

19. A batalha do poder está em nossas mentes, na forma que pensamos;

20. Quando as pessoas já não estão sozinhas, quando sabem que estão juntas, produz-se a mudança mais importante nas mentes.

21. Todos somos descendentes de covardes, pois se os valentes não corressem o suficiente, eram pegos pelas feras;

22. A superação, através da reunião de indivíduos em grupos não pode deixar que as pessoas percam a sua individualidade;

23. Precisamos substituir a democracia dos partidos para a democracia das pessoas;

24. Quando não estão sozinhas, as pessoas são mais fortes.

25. A nova democracia sairá de práticas coletivas, que vão experimentando novos mecanismos de deliberação, representação e decisão;

26. O conjunto do sistema passivo de comunicação e de democracia consiste em isolar essas pessoas e agregá-las em função dos que controlam os sistemas de poder nas instituições;

27. O sistema passivo de comunicação e democracia consiste em isolar as pessoas e agregá-las em função dos que controlam o poder

28. A interação entre o espaço urbano e o da rede virtual organiza, mobiliza, modifica as relações de poder e influencia as mentalidades das pessoas;

29. Com a Internet, ampliou-se extraordinariamente o espaço para a comunicação conflitiva e o espaço de auto-representação das pessoas na sociedade;

30. Pode-se organizar redes horizontais de comunicação interativa não representados pelos sistemas corporativos de poder;

31. As instituições que vivemos são, cada vez mais, simples expressões destas relações de poder;

32. Os governos deve ter transparência informativa absoluta pela internet em sistema dinâmico, usando técnicas como as da publicidade;

33. Vivemos a passagem de sistema dominado pela comunicação de massas para um de auto-comunicação de massas, através da internet.

34. Quando mudam os processos de comunicação, como consequência mudam-se as relações de poder;

35. O que não existe nos meios, não chega aos cidadãos – e, portanto, não existe;

36. O controle da informação e da comunicação foi sempre a forma fundamental de exercício do poder;

37. A política transformou-se em algo midiático;

38. Quem contesta o poder e apresenta ideias novas, se tem poder suficiente, vai mudando estas instituições;

39. O que aparece como ‘normal’, ‘natural’, ‘estabelecido’, ‘acordado’ são resultados de negociação que se dão entre distintos interesses e valores na sociedade;

40. Onde quer que haja dominação, haverá resistência a ela;

41. Os que podem mudar são justamente aqueles que se beneficiam dele;

42. As pessoas precisam poder acessar à Internet quando necessitarem;

43. A comunicação é fundamental, pois é a base da relação entre poder e contra poder;

44. É necessário que a ideia de uma reconstrução da democracia esteja nas ruas, aqui e no mundo;

45. A mudança social inicia com as mentes; mudar a forma de pensar de si mesmas e das demais, ensar diferente e pensar juntos;

46. Esse desencontro entre o que as pessoas pensam e seus representantes significa que uns caminham para um lado, enquanto representados pra outro;

47. Há sempre, nas sociedades, não apenas poder, mas, também, contra-poder;

48. Dois terços dos cidadãos do mundo acreditam que não são governados democraticamente;

49. A democracia representativa é reduzida, a distância em relação aos cidadãos aumenta;
50. A classe política organiza-se como classe própria, como trabalho profissional.



fonte: http://nepo.com.br

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

ACORDO ENTRE ESTADO DO RS E SÃO PAULO BUSCARÁ REDUZIR HOMICIDIOS.

Acordo entre Estado e SP buscará reduzir homicídios
Governadores gaúcho e paulista acertaram termo de cooperação que será assinado até fim do ano


Os governadores do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, e de São Paulo, Geraldo Alckmin, acertaram ontem uma parceria, visando à melhoria da segurança pública gaúcha. Em encontro no Palácio dos Bandeirantes, na capital paulista, foi definida a elaboração de um termo de cooperação que será assinado até o final do ano, prevendo a troca de experiências entre os gestores diretos da área. Uma das ideias é se espelhar no exemplo paulista para reduzir os homicídios.

Entre os acordos que deverão ser firmados destaca-se o intercâmbio entre as polícias civis para desenvolvimento de estratégias de inteligência policial e técnicas investigativas, acordo de cooperação e integração para combate ao crime organizado e lavagem de dinheiro, utilização de ferramentas e funcionamento do disque-denúncia e a troca de experiências para redução de homicídios. Em 2010, o índice de homicídios em São Paulo chegou a 10,4 casos por 100 mil habitantes. No Rio Grande do Sul, a taxa foi de 15,1 assassinatos por 100 mil habitantes.

São Paulo é referência nacional no enfrentamento dos assassinatos, com queda sucessivas há mais de uma década. A política de policiamento comunitária, baseada em um projeto japonês, também é destaque. Uma das iniciativas de sucesso é a instalação de bases militares que também servem de moradia para PMs e suas famílias em áreas rurais, distantes dos quartéis, e com moderados índices de violência.

Segundo Tarso, o modelo pode ser adaptado para a realidade gaúcha. Ele lembrou que o Estado vem negociando parcerias para que prefeituras paguem o aluguel de moradias para PMs se estabelecerem em áreas onde vão atuar no policiamento comunitário.

– Nas questões operacionais, o nosso entendimento é que tem muita similitude da Grande São Paulo com a Grande Porto Alegre, o tipo de conglomerados, o tipo de contraste entre pobreza e riqueza – afirmou Tarso a Zero Hora, antes da viagem para São Paulo.

Alckmin concorda:

– De fato, as questões de segurança em São Paulo e no Rio Grande do Sul são semelhantes. Estamos intensificando um contato que vai prosperar por meio do diálogo.

Para afinar as propostas, o secretário da Segurança Pública, Airton Michels, o chefe da Polícia Civil, Ranolfo Vieira Junior, e o comandante-geral da Brigada Militar, Sérgio Roberto de Abreu, participam de uma reunião, em 24 de novembro, em São Paulo, com a cúpula da segurança paulista.


O modelo paulista
Exemplos de medidas adotadas pela PM em São Paulo:
- Um dos pilares da queda nos números da criminalidade em São Paulo é o reforço do patrulhamento das ruas
- A ênfase é para o policiamento comunitário, que tem um departamento específico dentro da PM com 30 oficiais praças desenvolvendo projetos para essa finalidade
- Além de bases móveis, foram criadas bases fixas, nas quais trabalham entre 13 e 25 policiais em contato direto com moradores e comerciantes, que, em caso de ajuda ou troca de informações, telefonam diretamente para a base, sem necessidade de ligar para o 190
- Em localidades rurais no interior, com baixos índices de criminalidade, PMs e familiares moram na própria base policial
- Para agilizar o atendimento de ocorrências nas grandes cidades, viaturas são monitoradas por GPS. Para segurança dos PMs, eles usam uma espécie de celular, que dispara um alerta para o centro de controle da PM sempre que houver um movimento brusco do policial

POLICIAL FICA FERIDO EM TIROTEIO NA ZONA NORTE DA CAPITAL GAÚCHA. RS.

Policial fica ferido em tiroteio na zona Norte da Capital
Bandidos que assaltaram clinica médica foram surpreendidos por viatura que fazia a patrulha


Um policial ficou ferido num tiroteio na tarde desta quinta-feira, na avenida Baltazar de Oliveira Garcia, Zona Norte de Porto Alegre. O confronto aconteceu quando três assaltantes saíam de uma clínica médica próxima à avenida Saulo Coelho foram surpreendidos por uma viatura da Brigada Militar que fazia a patrulha na região e foi chamada pelo 190. Os suspeitos levavam dinheiro, joias e celulares das pessoas que estavam na clínica.

O sargento da BM Francisco Santos foi ferido na perna e encaminhado ao hospital Cristo Redentor, assim como dois dos bandidos, atingidos na perna e no braço, que serão presos em flagrante. O terceiro suspeito conseguiu fugir num veículo roubado, que seria de uma auto-escola ou locadora. Um dos bandidos carregava uma pistola 380.



Fonte: Paulo Roberto Tavares

PROJETO AMPLIA FONTE DE RECURSOS PARA A SEGURANÇA PÚBLICA.

Projeto amplia fonte de recursos para a segurança pública


A Câmara analisa o Projeto de Lei 1360/11, do deputado Rodrigo de Castro (PSDB-MG), que amplia as fontes de recursos e itens de cobertura do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP), destinando parte dos recursos aos municípios para aplicação direta em projetos locais de segurança pública.

A proposta inclui entre os recursos do FNSP os resultantes do confisco de bens apreendidos em decorrência dos crimes de tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins e de “lavagem” ou ocultação de bens e valores e 2% da arrecadação total dos concursos de prognósticos das loterias federais.

Repasse a municípios
Pela proposta, pelo menos 30% dos recursos do FNSP deverão ser repassados aos estados para distribuição aos municípios, na proporção do número de seus habitantes, especificamente para custeio de projetos.

“O município é a realidade concreta da Federação, onde estão os problemas e onde, por lógica, devem estar as soluções. E, nesse sentido, a medida mostra-se desconcentradora de poder e descentralizadora de ações”, afirma o autor.

Tramitação
A matéria tramita em caráter conclusivo pelas comissões de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:

PL-1360/2011
Reportagem – Oscar Telles
Edição - Wilson Silveira

CIENTISTA POLITICO AFIRMA: OU NÓS PAGAMOS DECENTEMENTE AOS POLICIAIS, OU ESSA SITUAÇÃO SERA INCONTORNÁVEL.

Cientista político afirma: Ou nós pagamos decentemente aos policiais, ou essa situação será incontornável
Antropólogo e professor universitário, Luiz Eduardo Soares é um dos especialistas em segurança pública mais entrevistados do Brasil.


Luiz Eduardo Soares é escritor, antropólogo, cientista político e defensor dos Direitos Humanos. Já foi subsecretário de segurança púbica no Rio de Janeiro, secretário de Segurança Nacional, é professor da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e autor de 10 livros, entre eles Elite da Tropa 1 e 2, que deram origem ao filme Tropa de Elite – um dos maiores sucessos do cinema nacional.

Especialista nos assuntos de segurança pública, Luiz Eduardo já concedeu centenas de entrevistas em programas os mais variados, relatando detalhadamente (como o faz em seus livros) as principais causas para o quadro em que se encontra a segurança pública do país.

E segundo ele, não conseguiremos nenhum avanço significativo se uma política de valorização profissional não for posta em prática pelos governos.

- Ou nós damos um jeito nisso, ou isso dará um jeito em nós, de um modo ou de outro. Ou nós pagamos decentemente aos policiais, ou essa situação será incontornável – disse Eduardo, durante uma entrevista ao programa Sempre um Papo.

É a palavra de um escritor, antropólogo, cientista político e defensor dos Direitos Humanos.



ParaibaemQAP

terça-feira, 15 de novembro de 2011

PE-- ASSOCIAÇÃO RECLAMA DE ABUSOS CONTRA POLICIAIS.

PE- Associação reclama de abusos contra policiais
"O policial e/ou bombeiro militar, como todo trabalhador e ser humano, precisa ter sua dignidade respeitada e suas folgas garantidas."


Na luta pelos direitos humanos que não chegam aos quartéis, a Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados (ACS – PE) vem diuturnamente recebendo uma série de denúncias sobre excessos cometidos. Em menos de uma semana, registramos problemas na Ciatur, no Curso de Cabos e no 8º Batalhão.

As queixas são muitas: abuso de autoridade, assédio moral, carga horária de trabalho escravizante. É inadmissível que ainda tenhamos que vivenciar situações como essa nos dias de hoje: forçar os PMs a tirarem escalas extras para festas de padroeiras, carnavais fora de época, feiras literárias e outros eventos.

O policial e/ou bombeiro militar, como todo trabalhador e ser humano, precisa ter sua dignidade respeitada e suas folgas garantidas para cuidar da família e ter o merecido descanso. O coordenador da ACS – PE, Renílson Bezerra, já entrou em contato com as autoridades competentes, questionando o tratamento concedido a tropa. “Não podemos ficar calados diante de tantos absurdos”, diz.



Paraíba em QAP

PEC 300- VERDADES E MITOS.

PEC 300 – Verdades e Mitos


Como bem sabemos, a Proposta de Emenda à Constituição nº 300 – PEC 300 – visa assegurar aos policiais (militares e civis) e bombeiros o estabelecimento de um piso salarial nacional. O problema é que o Executivo Federal (e muitos estaduais, entre eles o baiano) não querem a PEC 300. Razão pela qual vamos reunir as principais lideranças nacionais na Assembleia Legislativa da Bahia e ouvir deles, in loco, quais passos devem ser dados no sentido da aprovação (real e definitiva).
Já confirmou presença o Subtenente Clóvis – mentor intelectual da PEC 300; Deputado Arnaldo Farias de Sá (SP) – proponente da PEC 300 na Câmara Federal; Deputado Mendonça Prado (SE) – Presidente da Comissão de Segurança Pública e Cidadania e Combate ao Crime Organizado na Câmara Federal; Capitão Assunção – Ex-Deputado Federal (PSB – ES); Major Fábio Ex-Deputado Federal (DEM – PB) e foram convidadas todas as autoridades baianas que direta e indiretamente têm relação com a Segurança Pública.
Prezados(as) companheiro(as), a participação nesta Audiência Pública de cada policial (civil e militar), bombeiro é de fundamental importância para o efetivo convencimento dos 39 deputados federais baianos que não só tem direito a voto na referida matéria, como podem ser decisivos para finalmente colocá-la em pauta. Convém dizer: a PEC 300 já foi aprovada em 1º turno na Câmara e não colocá-la para votar já em 2º turno, além de um total desrespeito aos operadores da Segurança Pública é também uma agressão ao regimento interno do Congresso Nacional.


Site Capitão Assumção

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

SONHO DE POLICIAL MILITAR QUE REJEITOU 1 MILHÃO ´E COMPRAR CASA.

Sonho de PM que rejeitou R$ 1 milhão é comprar casa
Cabo André Souza foi exemplo na tropa esta semana também ao tentar salvar a vida do cinegrafista Gelson Domingos, assassinado em Antares, carregando-o nos braços


Rio – É numa casa simples, de dois quartos, no subúrbio, que mora um dos PMs do grupo que recusou a propina de R$ 1 milhão oferecida em troca da liberdade do traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha. Dinheiro que o cabo André Souza, de 39 anos, do Batalhão de Choque, só conseguiria juntar se trabalhasse 44 anos seguidos, sem gastar um centavo do salário — estimado em cerca de R$ 1.900 mensais. E que daria para comprar a casa própria que ele tanto sonha.


Mas a proposta ‘indecente’ não corrompeu o juramento que o policial fez ao vestir pela primeira vez a farda, há 9 anos. “Me deu muita raiva. Estavam nos comparando aos policiais que foram presos horas antes, dando cobertura na fuga de traficantes. Mas ofereceram dinheiro aos caras errados, não é isso que vaipagar a nossa dignidade”, desabafou o cabo, que não tem carro e vai trabalhar de carona ou trem.
Da mesma corporação em que os ‘arregos’ são um problema a ser enfrentado, Souza difere por um pensamento em que a lógica é simples: “Penso no que é correto. A gente é tão mal visto pela sociedade por culpa de uns poucos, que não vou compactuar com isso”.

Imagem: Arte O Dia
Órfão de mãe desde os 6 anos, Souza falava ainda criança que seria PM. Sonho que começou a se tornar realidade na portaria de prédio da Zona Sul, onde o então porteiro dividia as horas de trabalho com os estudos para o concurso. Ele tem um filho de 15 anos.
Acostumado com o pouco ‘glamour’ da profissão, Souza só entendeu a dimensão de prender o traficante mais importante do Rio ao chegar no quartel, na manhã desta sexta-feira. Recebido aos gritos de ‘parabéns’ e pela euforia da equipe, o militar, que no último fim de semana ajudou a socorrer o cinegrafista Gelson Domingos — morto por traficantes na favela de Antares —, diz que a maior recompensa é o reconhecimento da família e dos amigos. “Minha mulher ligou e disse que tem orgulho de mim, que sou o herói dela. Isso vale muito mais que R$ 1 milhão”.

‘Reconhecimento de parentes e amigos vale muito mais que R$ 1 milhão’, disse policial | Foto: João Laet / Agência O Dia
Bandido mais procurado do Rio é preso
Nem foi preso durante operação do Batalhão de Choque, em frente ao Clube Piraquê, na Lagoa, na Zona Sul do Rio, no início da madrugada desta quinta-feira. O cerco aconteceu quando policiais, nas proximidades de um dos acessos a Rocinha, na Estrada da Gávea, desconfiaram de um veículo. Após abordagem, os ocupantes do carro afirmaram que eram de um consulado e, diante da insistência dos policiais em revistar o veículo, ofereceram dinheiro aos agentes. Após recusa por parte dos policiais militares, a busca no carro foi feita e Nem foi encontrado dentro do porta-malas de um Corolla preto.
Poucas horas antes, um “bonde” com traficantes, escoltado por três policiais civil, um policial militar reformado e um ex-PM, foi detido próximo ao Jóquei da Gávea, também Zona Sul da cidade. A ação foi conduzida por homens Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE). Os traficantes presos na ação são: Anderson Rosa Mendonça, o Coelho, apontado como chefe do tráfico no Morro do São Carlos, no Estácio; Sandro Luis de Paula Amorim, o Peixe, um dos líderes do tráfico na mesma comunidade; Paulo Roberto Lima da Luz, o Paulinho; Varquir Garcia dos Santos, o Carré, e Sandro Oliveira.

Arquivo do blog