TRANS. DO PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO PECUARIA EM 19/11/2009

TRANS.  DO  PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO  PECUARIA EM  19/11/2009
ALDO VARGAS

TRADIÇÃO E CULTURA

teixeirinha

Loading...

gildo

Loading...

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA AMADA.

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA  AMADA.

Pesquisar este blog

CAPITAL GAUCHA PORTO ALEGRE

CAPITAL GAUCHA  PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

TROPEIRO VELHO

  • TROPEIRO VELHO

TRADIÇÃO E CULTURA

A VOCE CARO VISITANTE E UM PRAZER TER AQUI VISITANDO ESTE BLOG DESTE GAÚCHO, QUE NÃO TEM LADO PARA CHEGAR, GOSTO DE UMA AMIZADE E UM BOA CHARLA, TRATO TODOS COM RESPEITO PARA SER RESPEITADO MAS SE FOR PRECISO QUEBRO O CHAPEU NA TESTA PRA DEFENDER UM AMIGO AGARRO UM TIGRE A UNHA. AGRADEÇO A TODOS QUE DEIXAM SEU RECADO, POSTADO NESTE BLOG.

GALPÃO GAUCHO

GALPÃO  GAUCHO

A BANDEIRA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, TE AMO MEU RIO GRANDE

A  BANDEIRA  DO  ESTADO  DO  RIO GRANDE  DO  SUL,  TE  AMO  MEU  RIO  GRANDE

sábado, 22 de outubro de 2011

sSEGURANÇA PUBLICA É UMA DAS PRINCIPAIS PREOCUPAÇÕES DOS BRASILEIROS.

Segurança pública é uma das principais preocupações dos brasileiros


Avaliação só não é pior do que a área de saúde

Pesquisa do IBOPE Inteligência para a Confederação Nacional da Indústria (CNI) aponta que, na avaliação dos brasileiros, a segurança pública e drogas perdem apenas para saúde como o principal problema do país. Saúde lidera o ranking com 52%, seguida por segurança pública (33%) e drogas (29%).

O estudo Retratos da Sociedade Brasileira: Segurança Pública mostra que 51% da população considera a segurança pública no Brasil ruim ou péssima e apenas 15% perceberam melhora nos últimos três anos.

As Forças Armadas e a Polícia Federal são reconhecidas como as instituições mais eficientes em assuntos de segurança pública. O Congresso Nacional e o Poder Judiciário são considerados os mais ineficientes.

A evolução dos serviços prestados pela polícia nos últimos 12 meses divide os brasileiros. Para 21% houve melhora, mas para 19% piorou. A população acredita que a melhora da atuação policial requer investimento nos salários, na formação e no treinamento dos policiais.

Para evitar problemas com a violência, 45% aumentaram os cuidados com a segurança nos últimos três anos. Dos entrevistados, 80% mudaram os hábitos devido à violência, sendo que a mudança mais frequente é evitar andar com dinheiro (63%).

Dentre os entrevistados, 79% concordam totalmente ou parcialmente que penas mais rigorosas reduzem a criminalidade. Consequência disso é que 69% são favoráveis à prisão perpétua. No entanto, 15% são totalmente contra essa medida.

A população brasileira também está dividida quanto à adoção da pena de morte: 46% são a favor e outros 46% são contrários.

A sociedade não apoia o direito de porte de arma a todo cidadão. Segundo a pesquisa, o percentual de entrevistados contrários, totalmente ou parcialmente, alcança 70%, ante 23% favoráveis.

Sobre a pesquisa

A pesquisa foi realizada entre os dias 28 e 31 de julho de 2011. A amostra é representativa da população nacional, com 2.002 entrevistas realizadas com brasileiros de 16 anos ou mais em 141 municípios do País. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, sobre os resultados encontrados no total da amostra.



Clique para acessar

FONTE:IBOPE

PRESO COMPROU CARRO COM AUXILIO RECLUSÃO.

Preso comprou carro com auxílio reclusão


Um homem em liberdade condicional foi preso por policiais da 6ª Delegacia (Galés) com carro suspeito de roubo e disse que adquiriu o veículo na Avenida Suburbana por R$ 6 mil. O fato foi registrado no inicio da noite de ontem, na Rua Direita do Uruguai. O dinheiropara aquisição do bem seria oriundo do auxílio reclusão recebido pela filha, de R$ 828.

A informação gerou polêmica na unidade. Policiais, jornalistas e até quem estava na recepção para registrarqueixas questionava o valor pago, acima do mínimo determinado pelo Governo. “Ele ganha só isso porque tem apenas uma filha. Se tivesse mais, esse valor seria sempre multiplicado pelo número de dependentes”, atiçava o coordenador do Serviço de Investigação, Paulo Portela. O veículo, um Gol 2008 com som completo, de acordo com levantamento feito pelos policiais, vale no mercado cerca de R$25 mil.

“Wellington estava preso, acusado da morte do sargento Arruda, na Rua Henriqueta Catharino, em 11 de setembro der 2008. Saiu em maio passado e surpreendeu a equipe desfilando com um carro desse porte”, relatou Portela, ao comentar a prisão. Os documentos apresentados por ele estão em nome de Roberto e diz que o veículo é modelo 2010. “Então teremos que ver onde está o erro”, afirma o investigador.

Muitos vales-refeição, cerca de R$ 1 mil em cédulas, televisão plasma e inúmeros recibos de depósitos com valores altos (entre R$45 e R$10 mil) também foram encontrados com o preso, que reside no bairro de Itacaranha. Três inquéritos, dois processos, várias entradas na 2ª Delegacia (Liberdade), 10ª DT (Pau da Lima), 11ª DT (Tancredo Neves) e furtos de veículos fazem parte do vasto currículo do rapaz, que sebeneficia do auxílio reclusão. (MV)

Tribuna da Bahia Online

EMPRESAS DE SEGURANÇA PARTICULARES ESATRIAM BOICOTANDO A PEC 300.

PEC 300
Postado em: 19/10/2011 às 17h06
TAMANHO DA FONTE A- A+
Empresas de Segurança Particular estariam boicotando a PEC 300



Um dos maiores portais de notícias do país, o R7, fez uma matéria extensa sobre as resistências à aprovação da Proposta de Emenda Constitucional de número 300, a PEC 300, que cria o piso salarial nacional para as polícias e bombeiros brasileiros.


A reportagem deixa claro quais são as instâncias governamentais que estão boicotando a PEC, alegando desde falta de recursos até a “quebra do pacto federativo”, falácias que tentam camuflar a falta de prioridade para a segurança pública no país. Segundo o R7, além do Governo Federal, os governos estaduais de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Minas Gerais e Pernambuco estão na vanguarda da contrariedade à valorização dos profissionais de segurança pública.


Na matéria, um outro “inimigo” da PEC 300 é apontado, o lobby das empresas de segurança particular, que não teriam o serviço de segurança prestado por policiais “a preço de banana” caso o salário das polícias fossem aumentados. Ouve-se dizer que, em alguns estados, policiais chegam a cobrar menos de R$40,00 por um turno de vigilância particular – valor que beira a miséria, tendo em vista que até mesmo o armamento utilizado pertence ao próprio policial. Vejam o que a matéria do R7 fala sobre o assunto:


Mas não são só os governos estaduais e federal que não querem a aprovação da proposta neste ano. Entidades do setor apontam outro forte lobby contrário à PEC 300: as empresas de segurança privada. De acordo com o presidente da Cobrapol (Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis), Janio Bosco Gandra, a medida prejudicaria o setor, que hoje lucra com a contratação de policiais militares e civis para fazer “bicos” nas horas vagas. O autor do projeto, deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), concorda com a entidade, mas diz que a aprovação da PEC ajudaria a solucionar com o problema.


Hoje em dia, quase todos os policiais têm um bico, senão eles não conseguem sobreviver. [...] E o problema é que o salário do bico é, geralmente, maior que o salário oficial, ou seja, o policial acaba dando mais atenção ao bico.
Em outro trecho relevante da matéria, o professor Guaracy Mingardi (FGV-SP) faz um alerta para o perigo do desdém que os governos fazem com o tema:


Embora façam coro para destacar que a questão salarial não é o único problema do setor, os especialistas admitem que talvez ela seja a mais urgente. Para eles, a tentativa do governo federal e dos Estados de adiar a votação da PEC 300 pode se tornar um “tiro no pé”, visto o número de greves e protestos que têm ocorrido pelo país.
Em recente artigo, Mingardi alertou para um risco iminente de “apagão” na área, a exemplo do que ocorreu no governo FHC, que sofreu com o apagão do setor de energia, e no governo Lula, quando o problema maior foi o setor aéreo. Em entrevista ao R7, ele reforçou que, caso o Executivo não dê pelo menos um “sinal” às polícias, o governo Dilma pode enfrentar, em breve, um “apagão da segurança pública”.


- Se não houver uma satisfação para a polícia, você pode ter um apagão mais generalizado no ano que vem. Neste ano, nós tivemos vários focos de apagão, com greves e protestos. Mas se mostrarmos que a coisa está caminhando, é provável que no ano que vem a gente enfrente ma sequência de confrontos inédita.
A matéria é uma das mais claras publicações sobre os enfrentamentos vigentes em torno da aprovação do Piso Salarial das polícias brasileiras. Para superar tantos interesses contrários à dignidade dos policiais, será preciso muita pressão e mobilização dos profissionais de segurança pública de todo o Brasil. Da Redação ChicoSabeTudo
Fonte: PEC300bahia.blogspot.co

TABELA SALARIAL DOS SOLDADOS DO BRASIL.

Tabela Salarial dos Soldados do Brasil


Tabela Salarial dos Soldados das Polícias Militares do Brasil em Início de Carreira:



01- Polícia Militar do Distrito Federal – R$4.129.73
02- Polícia Militar do Estado de Sergipe – R$3.012.00

03- Polícia Militar do Estado de Goiás – R$2.722.00
04- Polícia Militar do Estado de São Paulo – R$2.387.00
05- Polícia Militar do Estado do Mato Grosso do Sul – R$2.176.00
06- Polícia Militar do Estado do Amapá – R$2.070.00
07- Polícia Militar do Estado do Maranhão – R$2.037.39
08- Polícia Militar do Estado de Alagoas – R$1.818.56
09- Polícia Militar do Estado do Espírito Santo – R$1.801.14
10- Polícia Militar do Estado do Paraná – R$1.789.00
11- Polícia Militar do Estado do Mato Grosso – R$1.796.71
12- Polícia Militar do Estado de "Minas Gerais" – R$1.775.42
13- Polícia Militar do Estado de Santa Catarina – R$1.600.00
14- Polícia Militar do Estado do Tocantins – R$1.572.00
15- Polícia Militar do Estado da Bahia – R$1.550.00
16- Polícia Militar do Estado do Amazonas – R$1.546.00
17- Polícia Militar do Estado de Roraima – R$1.526.91
18- Polícia Militar do Estado do Piauí – R$1.372.00
19- Polícia Militar do Estado do Acre – R$1.299.81
20- Polícia Militar do Estado da Paraíba – R$1.297.88
21- Polícia Militar do Estado de Rondônia – R$1.251.00
22- Polícia Militar do Estado de Pernambuco – R$1.237.29
23- Polícia Militar do Estado do Pará – R$1.200.00
24- Polícia Militar do Estado do Ceará – R$1.147.00
25- Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro – R$1.137.49
26- Polícia Militar do Rio Grande do Norte – R$1.111.00
27- Brigada Militar do Rio Grande do Sul – R$996.00


No governo de Itamar Franco quando o salário de um Sd era R$615.00 e foi para R$1.000.00 na época equivalia a 05 salários minímos.Hoje com o reajuste do minímo em R$510.00 um Sd em início de carreira recebe líquido apenas 03 salários minímos.

TABELA SALARIAL INICIAL DO POLICIAIS CIVIS DO BRASIL: VEJA ABAIXO






Blog Papo de PM





LINK - ESPALHE POR AÍ!


Outras Notícias sobre Salario/Carreira
19/10/2011
APROVADO DECISÃO UNÂNIME O AUMENTO DA BRIGADA MILITAR
17/10/2011
BOLSA FORMAÇÃO - Inicia hoje período de inscrião
16/10/2011
Tabela Salarial dos Soldados do Brasil

MAIORIA DAS MORTES DE POLICIAIS MILITARES NO RS OCORRE EM PERIODO DE FOLGA.

Estado
Postado em: 21/10/2011 às 21h34
TAMANHO DA FONTE A- A+
Maioria das mortes de PMs no RS ocorre durante períodos de folga
Associação de Cabos e Soldados da BM relaciona elevado número de casos aos chamados "bicos"


Desde 2005, 241 policiais militares (PMs) morreram no Rio Grande do Sul. É como se todo o efetivo da corporação em atividade em Canoas, quarta cidade mais populosa do Estado, por exemplo, deixasse de existir em seis anos. De todas as mortes, 191 ocorreram durante a folga dos policiais. Significa que a cada 10 mortes de PMs, oito foram registradas quando eles estavam fora de serviço.

O levantamento, feito pela Brigada Militar (BM) à pedido da Rádio Gaúcha, leva em consideração mortes em confronto com criminosos, por doenças, acidentes de trânsito, suicídios e homicídios. E são justamente os assassinatos que mais preocupam.

Para o presidente da associação dos Cabos e Soldados da Brigada, Leonel Lucas, a maior parte ocorre fora do horário de expediente quando os PMs fazem o chamado "bico", atividade ilegal, realizada normalmente em estabelecimentos comerciais.

Conforme o presidente da entidade, como os policiais atuam sem colete à prova de balas e sem o apoio operacional de colegas, ficam mais expostos durante os bicos.

— A principal causa, muita gente não acredita, mas é o salário. O Rio Grande do Sul é o pior salário do Brasil. O PM hoje com esse salário, ele se obriga a não trabalhar só num bico. Tem brigadiano que trabalha em dois ou três bicos e mais na Brigada Militar para sustentar sua família. E geralmente no bico, o policial fica exposto, vulnerável a qualquer tipo de ocorrência, sem colete nem nada que os ampare — explicou Lucas.

É o caso de um soldado de 42 anos, lotado em Porto Alegre. Baleado em dezembro do ano passado, quando atuava informalmente em um posto de combustível, ele conta que escapou da morte ao ser surpreendido por bandidos.
—Se eu estivesse trabalhando na ativa, teria mais gente comigo. Mas como eu estava sozinho no bico, era eu e Deus. E depois, a primeira coisa que o Estado faz, ou que a Brigada faz, é cortar a diferença no que a gente vai pro médico. Não recebe hora-extra, não recebe vale refeição. O salário vai lá pra baixo—relatou.

Segundo Leonel Lucas, PMs gaúchos são os que mais praticam bico no Brasil. Ele estima que 85% dos policiais trabalham para complementar a renda durante o horário de lazer.

Comandante-geral da Brigada Militar, coronel Sérgio Abreu reconhece que é alto o número total de mortes. Apenas este ano, dos 31 PM que morreram, 24 estavam de folga.

PEC UNIFICADA DAS POLICIAS DO SENADOR BLAIRO MAGGI.

PEC102: UNIFICAÇÃO DAS POLICIAS DO SENADOR BLAIRO MAGGI



Autor: SENADOR - Blairo Maggi e outro(s) Sr(s). Senador(es)
Ementa: Altera dispositivos da Constituição Federal para permitir à União e aos Estados a criação de polícia única e dá outras providências.
Estabelece que a remuneração dos agentes públicos integrantes da polícia federal, polícia rodoviária federal, polícia ferroviária federal, polícias civis, polícias militares e corpos de bombeiros militares será por subsídio fixado em parcela única (art. 39, § 4º), sendo assegurado piso nacional a ser fixado em lei federal, que disciplinará fundo nacional, com participação da União, dos Estados e dos municípios, visando a sua suplementação, bem como a vinculação de percentuais do orçamento; faculta à União e aos Estados a adoção de polícia única, cujas atribuições congregam as funções de polícia judiciária, apuração de infrações, polícia ostensiva, administrativa e preservação da ordem pública; cria o Conselho Nacional de Polícia, cuja competência e organização são definidas em lei complementar; elenca as finalidades da referida polícia única, caracterizando-a como instituição de natureza civil, instituída por lei como órgão permanente e único em cada ente federativo essencial à Justiça, subordinada diretamente ao respectivo Governador, de atividade integrada de prevenção e repressão à infração penal, dirigida por membro da própria instituição, organizada com base na hierarquia e disciplina e estruturada em carreiras; estabelece formas de ingresso, composição do quadro de pessoal e regime previdenciário dos integrantes da referida polícia única; prevê a transposição dos oficiais oriundos da polícia militar e os delegados de polícia dos Estados e do Distrito Federal para o cargo de delegado de polícia; cria o cargo de Delegado Geral da Polícia nos Estados e no Distrito Federal e estabelece critérios para a sua nomeação; remete a lei federal, de iniciativa do Presidente da República, a disposição sobre regras gerais das Polícias, em especial sobre ingresso, estrutura organizacional básica, direito de greve e outras situações especiais, consideradas as peculiaridades de suas atividades, assegurada a independência no exercício da atividade pericial e na investigação criminal, que devem ser uniformemente observadas pelas leis dos respectivos entes federativos; determina que leis da União e dos Estados criem ouvidorias, competentes para receber reclamações e denúncias de qualquer interessado contra integrantes das polícias, inclusive contra seus serviços auxiliares, representando diretamente ao Conselho Nacional de Polícia; estabelece que as guardas dos Municípios cujos Estados adotarem o modelo de polícia única poderão exercer atividade complementar de policiamento ostensivo e preventivo, mediante convênio com o Estado; dispõe que a União poderá mobilizar efetivo das polícias unificadas dos Estados e do Distrito Federal e Territórios para emprego em local e tempo determinado nos casos de: a) decretação de Estado de Defesa, de Sítio ou de intervenção federal; b) solicitação do governo do Estado ou do Distrito Federal e Territórios; revoga o inciso VII do art. 129 da Constituição Federal que confere ao Ministério Público a função institucional de controle externo da atividade policial.

SUBSECRETARIA DE ATA - PLENÁRIO

VEJA NA INTEGRA:
PEC_102_UNIFICACAO.pdf
PEC_102_UNIFICACAO_2.pdf

FONTE: Senado

FONTE:Policialbr.com

Arquivo do blog