TRANS. DO PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO PECUARIA EM 19/11/2009

TRANS.  DO  PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO  PECUARIA EM  19/11/2009
ALDO VARGAS

TRADIÇÃO E CULTURA

teixeirinha

Loading...

gildo

Loading...

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA AMADA.

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA  AMADA.

Pesquisar este blog

CAPITAL GAUCHA PORTO ALEGRE

CAPITAL GAUCHA  PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

TROPEIRO VELHO

  • TROPEIRO VELHO

TRADIÇÃO E CULTURA

A VOCE CARO VISITANTE E UM PRAZER TER AQUI VISITANDO ESTE BLOG DESTE GAÚCHO, QUE NÃO TEM LADO PARA CHEGAR, GOSTO DE UMA AMIZADE E UM BOA CHARLA, TRATO TODOS COM RESPEITO PARA SER RESPEITADO MAS SE FOR PRECISO QUEBRO O CHAPEU NA TESTA PRA DEFENDER UM AMIGO AGARRO UM TIGRE A UNHA. AGRADEÇO A TODOS QUE DEIXAM SEU RECADO, POSTADO NESTE BLOG.

GALPÃO GAUCHO

GALPÃO  GAUCHO

A BANDEIRA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, TE AMO MEU RIO GRANDE

A  BANDEIRA  DO  ESTADO  DO  RIO GRANDE  DO  SUL,  TE  AMO  MEU  RIO  GRANDE

sábado, 3 de setembro de 2011

NOVAS MANIFESTAÇÃO NAS RODOVIAS DESAFIAM PIRATINI.

Novas manifestações nas rodovias desafiam Piratini
Postado por abamfbm on setembro 3, 2011 in Seg. Pública, Todas notícias | 0 Comentario
Apesar de o governo ter rompido negociações até cessarem protestos, mais bloqueios são realizados
De nada adiantou o governo do Estado romper as negociações salariais com PMs e exigir o fim dos protestos para voltar a discutir reajustes. O impasse continua. E cada vez pior, as manifestações já somam 32 em um mês. Na madrugada de ontem, menos de 24 horas depois do ultimato do Palácio Piratini, ocorreram sete queimas de pneus, recorde para uma noite.

Ochefe da Casa Civil, Carlos Pestana, à frente das tratativas com a entidade de classe dos PMs, evitou comentar os episódios. Mas o governador Tarso Genro não escondeu sua irritação.

– Eu até estranho que uma parte da imprensa esteja chamando isso de protesto. É ato de vandalismo. Protesto é quando as pessoas se mobilizam, vão na frente do Palácio, xingam o governador – lamentou Tarso, antes de se encontrar com a presidente Dilma Rousseff, que visitou a Expointer.

Representantes da Associação Antônio Mendes Filho (Abamf), uma das entidades que representam os PMs e que apoiou as primeiras queimas de pneus, reforçou o apelo pelo fim dos protestos.

– O governo tem dinheiro para nos dar e nós queremos esse dinheiro. Pedimos que os colegas fiquem vigilante para evitar novos atos e os responsáveis sejam identificados – disse o secretário-geral da Abamf, Ricardo Agra.

Em Esteio, cerca de 80 PMs do Vale do Sinos, ligados à Abamf, que estavam de folga, se juntaram a policiais civis, a funcionários de universidades federais em greve e a servidores dos Correios para um protesto pacífico na entrada do Parque de Exposições, com faixas, panfletos e carro de som. Na hora do discurso da presidente, parte do grupo se aproximou do palanque oficial, gritando palavras de ordem, atrapalhando momentos da manifestação de Dilma.

JOSÉ LUÍS COSTA

Câmeras flagraram ações

As investigações referentes aos protestos na Capital, na quinta-feira, e em Alvorada, na semana passada, estão mais adiantadas. Pelo menos três câmeras da prefeitura de Porto Alegre, instaladas na Avenida Mauá, flagraram homens colocando fogo em pneus. A ação durou dois minutos. Depois, eles seguiram pela Mauá em duas motos e um carro escuro. Imagens dos rostos de dois homens seriam nítidas, permitindo a identificação.

As cenas captadas na Avenida Presidente Vargas, em Alvorada, também ajudaram a identificar pelo menos um manifestante. A Corregedoria da BM recebeu as imagens, mas evita divulgar detalhes sobre o conteúdo, sob a justificativa de que vai atrapalhar as investigações.

Em nota divulgada ontem, a Associação dos Sargentos, Subtenentes e Tenentes da Brigada Militar (ASSTBM) afirma que, em momento algum, patrocinou ou incentivou manifestação “ilegal” por melhores salários e que repudia os “atos radicais’’ que vêm sendo realizados.

Estradas em chamas
- Carazinho – Por volta das 5h de ontem, a rodovia Passo Fundo-Carazinho (BR-285) foi bloqueada no km 334,8, próximo ao campus da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra). Pneus foram queimados e interromperam o trânsito. A rodovia foi liberada 45 minutos depois.
- Farroupilha – No km 110 da estrada Farroupilha-Bento Gonçalves (RSC-453), por volta da 1h30min de ontem, pneus foram queimados. A estrada ficou bloqueada por meia hora.
- Garibaldi – Pneus e outros materiais foram queimados no km 102 da estrada Farroupilha-Bento Gonçalves (RSC-453), por volta das 23h30min de quinta-feira. O fogo foi contido por policiais do Grupo Rodoviário Estadual de Bento Gonçalves.
- Novo Hamburgo – Às 4h de ontem, na estrada Leopoldo Petry, bairro Lomba Grande, houve queima de pneus. Por cerca de 2h, a estrada ficou interrompida.
- Osório – Na rodovia Osório-Torres (BR-101), por volta das 4h de ontem, pneus foram queimados. A rodovia ficou interrompido por cerca 10 minutos.
- Parobé – Por volta das 5h30min de ontem, houve queima de cerca de 20 pneus no km 39 da rodovia Sapiranga-Taquara (ERS-239). O trânsito ficou interrompido por aproximadamente 30 minutos.
- Sarandi – A manifestação ocorreu às 2h30min de ontem no km 133 da rodovia Sarandi-Barra Funda (BR-386). No local, havia pneus queimados e a frase “Aumento BM ou greve já”. A estrada ficou bloqueada por 20 minutos.



PROTESTO DE PMS
Impasse paralisa negociações

Em encontro no Piratini ontem, governo se negou a discutir propostas de reajuste enquanto não cessarem manifestações
Organizados para pressionar o governo do Estado a aumentar os salários de policiais militares, os bloqueios em rodovias estão barrando as chances de reajustes imediatos para PMs. Indignado com a série de queima de pneus, o Palácio Piratini decidiu medir forças com os manifestantes, negando-se a discutir propostas enquanto não ocorrer o cessar-fogo ou até que os incendiários sejam presos.

Na madrugada de ontem, as chamas dos protestos chegaram ao centro de Porto Alegre, aumentando o clima de apreensão.

A posição do governo foi selada ontem pela manhã em reunião de 40 minutos no Piratini com líderes da Associação Beneficente Antônio Mendes Filho (Abamf), entidade que representa os soldados, e da Associação dos Subtenentes e Sargentos.

No encontro, ao lado do secretário da Segurança Pública, Airton Michels, da Administração, Stela Farias, e do comandante-geral da BM, coronel Sérgio Roberto de Abreu, o chefe da Casa Civil, Carlos Pestana, afirmou aos sindicalistas que a discussão estava suspensa por conta dos protestos e propôs um novo encontro no dia 9 para avaliar a situação.

– O governo construiu uma alternativa, mas só vai apresentá-la quando cessarem esses atos ou nós apurarmos quem são os responsáveis. Não vamos aceitar esse tipo de protesto – disse.

Uma hora antes, Pestana tinha se reunido com sindicalistas ligados à Polícia Civil e à Superintendência dos Serviços Penitenciários, propondo reajuste de 7% às duas categorias, a partir de outubro.

Dos 25 protestos ocorridos desde o começo de agosto, sete tiveram apoio da Abamf, e Pestana pediu ao presidente da entidade, Leonel Lucas, que tentasse estancar a queima de pneus.

Visivelmente contrariado, Lucas deixou a reunião pedindo ajuda.

– Faço um apelo para que acabem com isso e peço ao governo que investigue, pois tem mecanismos para isso.

Corporação já tem suspeito identificado

O problema é que a Abamf não tem controle sobre os manifestantes. Lucas suspeita de que os protestos sejam orquestrados por gente de oposição ao Piratini, ou mesmo por aliados, sem cargos no governo e dispostos a tumultuar as negociações.

– Seja quem for, será responsabilizado – afirmou o comandante da BM.

A corporação tem um suspeito identificado, assim como o carro dele. Há indícios sobre outras duas pessoas. O comandante disse que eles podem não ser PMs. Abreu esteve reunido à tarde com o governador Tarso Genro. Na ocasião, pediu que a “construção da política de valorização dos servidores da BM não seja interrompida em função de manifestações isoladas.”

O chefe da Casa Civil acredita que o ultimato do governo não vá fomentar novos protestos. Em nota, Pestana informou que recebeu a direção da Federação das Entidades Independentes dos Servidores Militares Estaduais de Nível Médio da Brigada Militar, que afirmou a disposição de dialogar.

Apesar disso, está previsto para hoje um protesto, nas imediações da Expointer, que terá a visita da presidente Dilma Rousseff.

JOSÉ LUÍS COSTA

Manifestação na entrada da Capital

A fumaça negra dos protestos que convulsiona rodovias do Interior desembarcou na madrugada de ontem em Porto Alegre. Às 2h15min, manifestantes atearam fogo em nove pneus no cruzamento da Avenida Mauá com a Rua Chaves Barcelos, na entrada da Capital, e estenderam faixas cobrando melhorias salarias para PMs no muro da Trensurb. Três das quatro faixas da Mauá ficaram bloqueadas por alguns minutos. Bombeiros, lotados em uma estação localizada há duas quadras dali, perceberam o fogo, debelaram as chamas e recolheram os restos dos pneus que não chegaram a queimar por inteiro. PMs do 9º Batalhão de Polícia Militar foram avisados e retiraram as faixas, levadas para o quartel. O local do bloqueio é desprovido de câmeras de vigilância – a mais próxima fica a uma quadra, mas não teria flagrado a presença dos incendiários. O episódio surpreendeu o comandante-geral da BM, coronel Sérgio Roberto de Abreu.

– Era possível que acontecesse em Porto Alegre, em razão da dimensão da cidade, mas não esperava que fosse nesse momento – afirmou o comandante.

Na quarta-feira, o coronel se reuniu com comandantes regionais da BM, determinando reforço do policiamento noturno, inclusive com PMs dos serviços de inteligência, que trabalham à paisana. Ontem, a ordem foi aumentar o patrulhamento das principais avenidas da Capital e das grandes cidades.

Outros protestos
Cidades onde ocorrerem novas manifestações:
- Bento Gonçalves
- Charqueadas
- Júlio de Castilhos
- Santo Ângelo
- Uruguaiana



ZERO HORA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog