TRANS. DO PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO PECUARIA EM 19/11/2009

TRANS.  DO  PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO  PECUARIA EM  19/11/2009
ALDO VARGAS

TRADIÇÃO E CULTURA

teixeirinha

Loading...

gildo

Loading...

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA AMADA.

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA  AMADA.

Pesquisar este blog

CAPITAL GAUCHA PORTO ALEGRE

CAPITAL GAUCHA  PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

TROPEIRO VELHO

  • TROPEIRO VELHO

TRADIÇÃO E CULTURA

A VOCE CARO VISITANTE E UM PRAZER TER AQUI VISITANDO ESTE BLOG DESTE GAÚCHO, QUE NÃO TEM LADO PARA CHEGAR, GOSTO DE UMA AMIZADE E UM BOA CHARLA, TRATO TODOS COM RESPEITO PARA SER RESPEITADO MAS SE FOR PRECISO QUEBRO O CHAPEU NA TESTA PRA DEFENDER UM AMIGO AGARRO UM TIGRE A UNHA. AGRADEÇO A TODOS QUE DEIXAM SEU RECADO, POSTADO NESTE BLOG.

GALPÃO GAUCHO

GALPÃO  GAUCHO

A BANDEIRA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, TE AMO MEU RIO GRANDE

A  BANDEIRA  DO  ESTADO  DO  RIO GRANDE  DO  SUL,  TE  AMO  MEU  RIO  GRANDE

sábado, 3 de julho de 2010

CARTA DE PRINCIPIO, A LEI MAGNA DO GAÚCHO

BRAVOS HOMENS IDEALIZARAMUM MOVIMENTO DE EXTREMA GRANDEZA CULTURAL, MAS NÃO IMAGINAVAM QUE SUAS IDEIAS FOSSEM TÃO BEM ACEITAS E DIFUNDIDAS RAPIDAMENTE, QUE O FIZESSE GRANDIOSO TAMBEM EM NUMEROS. ISTO NADA MAIS FEZ DO QUE CONFIRMAR GUÃO GLORIOSO FOI ESTA IDEALIZAÇÃO. TODO CRESCIMENTO RÁPIDO PODE TER CONSEGUENCIAS DESASTROSAS. ALEM DISSO, O GOVERNO E O EXERCITO TINHAM NAQUELE GRUPO DE JOVENS CERTA CONFIANÇA, POIS EXALTAVAM A REVOLUÇÃO FARROUPILHA, SEUS MENTORES E CONSEQUENTEMENTE O :20 DE SETEMBRO: , LEVANDO OS PODERES CONSTITUIDOS A CONCLUSÕES QUE PEDIAM PARA O LADO REVOLUCIONARIO E SEPARATISTA.
FOI ENTÃO QUE CLAUCUS SARAIVA, CONSIDERADO EXTREMAMENTE INTELIGENTE E COM A MENTE DE CERTA FORMA AVANÇADA PARA EPOCA, SE SENBILIOZOU E, POR SER MUITO RESERVADO, FEZ DE FORMA SOLITARIA UM DOCUMENTO QUE, DEPOIS DE CONCLUIDO FOI APRESENTADO COMO SUGESTÃO A SER SEGUIDO PELOS TRADICIONALISTAS.
TAL DOCUMENTO FOI DE EXTREMA IMPORTANCIA, FAZENDO COM QUE O EXERCITO O ENXERGASSE COM OUTROS OLHOS, PERCEBENDO QUE O MMOVIMENTO QUERIA ANDAR LADO A LADO COM OS GOVERNANTES.
O CONSELHO COORDENADOR RECONHECENDO SUA INPORTANCIA PARA O BOM PROSSEGUIMENTO DO MOVIMENTO, DECIDIU OFICIALIZAR A CARTA DE PRINCIPIO,QUE FOI APROVADA NO OITAVO CONGRESSO TRADICIONALISTA, REALIZADO NA CIDADE DE TAQUARA DE 20 A23 DE OUTUBRO DE 1961, NO CTG O FOGÃO GAUCHO.
A PARTIR DESTE MOMENTO ELA COMEÇOU A SER VISTA COMO UMA LEI A SER CUMPRIDA, CAUSANDO UMA CERTA REVOLTA NOS GAÚCHOS, QUE NÃO ACEITAVAM SER MANDADOS, DEFENDENDO A IDEIA DE QUE GAUCHO É MACHO, NÃO RECEBE ORDENS DE NINQUEM E É DONO DE SUAS PROPRIAS RAZÕES.
DENTRO DO MOVIMENTO, SEUS EFEITOS FORAM PARA NORTEAR UM RUMO A SER SIGUIDO, POIS NA EPOCA O QUE PREVALICIA ERAM AS CONTRADIÇÕES, ONDE CADA C T G PROCURAVA INCLINAR-SE PARA SEU LADO, FAZENDO COM QUE NÃO EXISTISSE UNANIMIDADE.
PARA O BOM FUNCIONAMENTO ERA NECESSARIO E DE FUNDAMENTAL IMPORTANCIA, UM PERFEITO CONHECIMENTO E INTERPRETAÇÃO DA MESMA.ASSIM ESCREVI NESTE BLOG UM POUCO DA LEI QUE NOS REGE DENTRO DO TRADICIONALISMO DO RIO GRANDE DO SUL, A CONHECIDA CARTA DE PRINCIPIO DENTRO DO TRADICIONALISMO ASSS GAUCHO ALDO VARGAS

sexta-feira, 2 de julho de 2010

NOVO CODICO DE TRANSITO AUMENTA RIGOR COM MOTORISTA

02/07/2010 - 07h01

Novo Código de Trânsito aumenta rigor com motorista

Proposta que será analisada pela Câmara endurece a Lei Seca, aumenta as penas para quem comete crime no trânsito e quase dobra o valor das multas



"Brasil tem multas muito leves", diz relator do novo Código de Trânsito
Rodolfo Torres e Edson Sardinha

A proposta de reforma do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) endurece a chamada Lei Seca, aumenta as penas para quem comete crime no trânsito e praticamente dobra o valor das multas aplicadas ao motorista brasileiro. O anteprojeto, que está pronto para ser votado na próxima terça-feira (6) numa subcomissão da Câmara, inclui o homicídio culposo (sem intenção) e institui a figura das “direções homicida e suicida” no Código e prevê prisão até em regime fechado para quem for pego dirigindo embriagado.

Entre outras medidas, a proposta prevê “tolerância zero” para o álcool na direção. Atualmente, a concentração permitida por lei é de seis decigramas de álcool por litro de sangue. O relatório do deputado Marcelo Almeida (PMDB-PR) elimina esse índice e considera embriaguez o consumo de qualquer quantidade de bebida alcoólica. O texto estabelece, ainda, que o juiz poderá usar outros meios de prova para incriminar o motorista infrator, como vídeos, fotos, testemunhas e laudos, caso ele se recuse a fazer o teste do bafômetro ou o exame de sangue.

Leia ainda: O que pode mudar no Código de Trânsito

“É preciso criar provas paralelas para incriminar o motorista infrator”, defende o deputado. Muitos motoristas se valem do direito de não produzir provas contra si e deixam de fazer o teste do bafômetro, ressalta o peemedebista.

Multa e reclusão

A reforma no Código de Trânsito em análise pelos deputados também mexe com o bolso do motorista, ao estabelecer um reajuste de até 89,94% no valor das multas. Caso a proposta venha a ser aprovada, os valores das multas de trânsito passarão a ser de R$ 363,80 (para as infrações gravíssimas); R$ 242,53 (grave); R$ 161,69 (média) e R$ 101,05 (leve). Esses valores podem ser agravados em até cinco vezes, podendo atingir o valor máximo de R$ 1.819,00.

Marcelo Almeida admite que o Congresso resistirá a aprovar, num ano eleitoral, um reajuste significativo das multas. Mas ele afirma que vai insistir na proposta. “O país tem multas muito leves”, avalia. O relator diz que muitas localidades estão deixando de multar porque o custo da aplicação da multa, muitas vezes, supera seu próprio valor.

Código Penal

A proposta de mudança na legislação de trânsito também atinge o Código Penal. O relatório determina que o motorista que dirigir “sob a influência de álcool ou de substância psicoativa que determine dependência” poderá ter de cumprir a pena de reclusão, que varia de seis meses a três anos. Atualmente, essa pena é de detenção. A diferença é que, enquanto na reclusão o sistema de cumprimento da pena mais grave é o fechado; na detenção, o regime semi-aberto é o mais severo.

Em outro ponto, a proposta tipifica o crime de homicídio culposo no trânsito (quando não há a intenção de matar). A pena prevista é de quatro a 12 anos de reclusão, combinada com a suspensão ou proibição de dirigir caso o motorista tenha praticado o crime sob influência de bebida alcoólica ou outra droga, participando de racha ou transitando em velocidade superior a 50 km/h à máxima permitida.

Direção homicida-suicida

O anteprojeto também tipifica o crime de direção homicida-suicida: quando o condutor dirige com “temeridade manifesta e desapreço consciente à vida alheia”. A pena prevista é de três a dez anos de reclusão, além da suspensão ou proibição de se obter a habilitação para dirigir. “Estamos levando o Código de Trânsito para dentro do Código Penal”, resume Marcelo Almeida.

Na avaliação do deputado, é preciso endurecer a legislação e intensificar a educação para reduzir os índices que dão ao Brasil o quinto lugar no ranking mundial de mortes no trânsito. Para ele, as atuais multas aplicadas no trânsito brasileiro são muito baixas e, somadas à falta de fiscalização, encorajam os motoristas a continuarem cometendo infrações.

“É preciso manter o caráter de desestímulo às infrações ao Código”, defende. Entre outras mudanças, ele propõe o aumento da punição para quem participa de rachas. Se aprovado, o fator multiplicador da multa passará de três para cinco vezes.

Todos os anos, segundo o Ministério da Saúde, cerca de 35 mil brasileiros perdem a vida em acidentes de trânsito. A maior parte dos acidentes é provocada por imperícia dos condutores.

Fiscalização e polêmica

O relator observa que mesmo a Lei Seca (11.705/08), em vigor há dois anos, não tem produzido os efeitos esperados. De acordo com a norma, comete crime quem dirige apresentando seis decigramas ou mais de álcool por litro de sangue. Com fiscalização intensificada nas proximidades de bares em diversas cidades, a lei gerou polêmica, protesto e mudança de hábito por parte de alguns motoristas.

Durante os primeiros 12 meses da Lei Seca, o Ministério da Saúde detectou uma redução de 2,3 mil mortes em relação ao mesmo período anterior. Mas de lá pra cá, ressalta o deputado, a fiscalização afrouxou e os motoristas voltaram a dirigir após ingerirem bebida alcoólica. O resultado, avalia, é que os números de mortalidade no trânsito estão voltando em 2010 aos mesmos patamares verificados antes da nova lei.

Muito veículo, pouca educação

O relator da reforma do Código de Trânsito avalia que os problemas da área podem ser resolvidos por meio de duas medidas. A primeira é usar parte do dinheiro público usado para o superávit primário (economia que o governo faz para pagar juros da dívida) para campanhas educativas e blitze ostensivas. “O remédio é muito fácil e barato, mas o Brasil não faz”, afirma.

Além disso, o parlamentar critica a política do governo de baratear carros e motos. Com isso, explica, o aumento de veículos nas ruas e estradas brasileiras provoca o aumento nos acidentes. “A rápida motorização, que é a relação de carros por habitantes, nos tornou uma China, uma Índia”, critica. “O cidadão no interior do Paraná não tem mais cavalo. Tem moto”, observa.

Mais mudanças

A proposta de reforma do Código de Trânsito está sendo discutida desde abril de 2009 numa subcomissão especial da Comissão de Viação e Transportes, da Câmara. A subcomissão especial da Reforma do Código de Trânsito reuniu mais de 170 projetos de lei com a finalidade modificar a legislação. Os projetos com parecer pela aprovação foram inseridos em um anteprojeto de lei, anexado ao relatório, propondo a alteração de 78 artigos e acrescentando 18 novos dispositivos ao Código.

Além de aumentar o rigor com os motoristas, a proposta estabelece outras mudanças como restrição para propaganda de veículos e retirada da responsabilidade do condutor pelo não uso do cinto de segurança por parte do passageiro.

“A cultura de não usar cinto é grande em ônibus e vans”, explica o parlamentar, queixando-se do desconforto do acessório. Para ele, não é justo penalizar o condutor pelo erro dos passageiros. O deputado diz que costuma retirar a proteção para dormir sempre que viaja em ônibus intermunicipais.

Outra sugestão encampada por Marcelo Almeida permite que o adolescente de 17 anos dê início ao processo para tirar a permissão três meses antes de completar 18 anos. Nesse período, ele poderá fazer exames teóricos de direção e de primeiros-socorros, mas continuará proibido de ter aulas ao volante.

A proposta também prevê o arquivamento sumário da multa que não tiver sido aplicado até dois anos após o auto de infração e prevê efeito suspensivo os processos administrativos, impedindo a pontuação na carteira até o final da demanda, mecanismo inexistente hoje.

Caso seja aprovado pela subcomissão da Reforma do Código de Trânsito, o anteprojeto será analisado pela Comissão de Viação e Transportes. O projeto de lei também terá de ser analisado pela Comissão de Constituição e Justiça antes de chegar ao plenário.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

REVOLUÇÃO FEDERALISTA

A REVOLUÇÃO FEDERALISTA OCORREU NO SUL DO BRASIL LOGO APÓS A PROCLAMAÇÃO DA REPUBLICA. ISTO OCORREU DEVIDO A INSTABILIDADE POLITICA GERADA PELOS FEDERALISTA QUE PRETENDIAM LIBERTAR O RIO GRANDE DO SUL DA TIRANIA DE JULIO DE CASTILHOS, ENTÃO PRESIDENTE DO ESTADO. A DIVERGENCIA SE INICIOU POR ATRITOS OCORRIDOS ENTRE AQUELES QUE PROCURAVAM A AUTONOMIA ESTADUAL FRENTE AO PODER FEDERAL E SEUS OPOSITORES. A LUTA ARMADA DUROU APROXIMADAMENTE TRES ANOS E ATINGIU AA REGIÕES COMPRENDIDAS ENTRE O RIO GRANDE DO SUL, SANTA CATARINA E PARANA. O PARTIDO FEDERALISTA DO RIO GRANDE DO SUL FOI FUNDADO EM 1892 POR GASPAR SILVEIRA MARTINS. EM TESE, DEFENDIA O SISTEMA PARLAMENTAR DE GOVERNO A REVISÃO DAS CONSTITUIÇÕES ESTADUAIS, PREVENDO A CENTRALIZAÇÃO POLITICA E O FORTALECIMENTO DO BRASIL COMO UNIÃO FEDERATIVA.
DESTA FORMA ESTA FILOSOFIA CHOCAVA-SE FRONTALMENTE CONTRA A CONSTITUIÇÃO DO RIO GRANDE DO SUL DE 1891.ESTA ERA INSPIRADA NO POSITIVISMO E NO PRESIDENCIALISMO, RESQUARDSANDO A AUTONOMIA ESTADUAL, FILOSOFIA ADOTADA POR JULIO CASTILHOS, CHEFE DO PARTIDO REPUBLICANO, E QUE SEGUIA O PRINCIPIO COMTIANOS DAS PÉGUENAS PATRIAS;
OES SEGUIDORES DE GASPAR SILVEIRA MARTINS, GASPARISTAS OU MARAGATOS ERAM FRONTALMENTE OPOSTOS AOS SEGUIDORES DE JULIO DE CASTILHOS OU PICA PAUS. EMPENHARAM-SE EM DISPUTOS SANGRENTAS QUE ACABARAM POR DESENCADEAR A REVOLUÇÃO FEDERALISTA, UMA GUERRA CIVIL QUE DUROU DE FEVEREIRO DE 1893 A AGOSTO DE 1895 E FOI VENCIDA PELOS PICA PAU, SEGUIDORES D E JULIO DE CASTILHOS, NESTE CONFLITO, HOUVE MAIS DE DEZ MIL MORTOS E CENTENAS DE MILHARES DE FERIDOS.
CONFLITOS NA HISTORIA DO BRASIL PERIODO REPULICANO, REPUBLICA VELHA
REVOLTA DA ARMADA 1893 A 1894 REVOLUÇÃO FEDERALISTA 1893 A 1895, GUERRA DE CANUDOS 1893 A 1897 REVOLTA DA VACINA 1904 REVOLTA DA CHIBATA 1910 GUERRA DO CONTESTADO 1912 A 1916 GREVES OPERARIOS 1917 A 1919 REVOLTAS DOS DESOITOS DO FORTE 1922 REVOLUÇÃO LIBERTADORA 1923 REVOLUÇÃO DE 1930. 1930 ERA VARGAS REVOLUÇÃO CONSTITUICIONALISTA 1932 INTENTONA COMUNISTA 1935 LEVANTE INTEGRALISTA 1938 REGIME MILITAR GUERRILHA DO GASPARÃO 1967 GUERRILHA DO ARAGUAIA 1970 A 1976. E ESSA SÃO DATAS E ANOS DE CONFLITO NO BRASIL QUE MUITA GENTE NÃO SABE QUE HOUVE E NEM TEM CONHECIMENTO PORQUE ATUALMENTE NOS COLEGIO NÃO DÃO ESSAS DATAS AOS ALUNO, FICA UM POUCO DO MEU CONHECIMENTO AOS MEUS AMIGOS QUE LEREM MEU BLOG. ASS GAUCHO ALDO VARGAS

quarta-feira, 30 de junho de 2010

OLHA A ENGANAÇÃO JA COMEÇO O BLÁ BLÁ DA PEC 300

Novo projeto poderá definir valor do piso dos policiais




Foto: Agência Câmara de Notícias
Novo projeto poderá definir valor do piso dos policiais

O texto final das propostas de emenda à Constituição (PEC 446/09 e 300/08) que estabelecem um piso salarial para os policiais civis, militares e bombeiros dos estados, está sendo fechado num acordo entre o líder do governo, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), deputados ligados à área de segurança pública e representantes de policiais e bombeiros. Poderá ser aprovado um texto sem um valor definido para o piso e o governo terá 180 dias para enviar, à Câmara, um projeto propondo um valor e a criação de um fundo com recursos da União para ajudar os estados a pagarem o aumento que ocorrerá onde as categorias ganham abaixo do piso.

A votação da matéria poderá ser concluída nos dias 6 e 7 de julho. O texto principal foi aprovado em março, mas faltam quatro destaquesMecanismo pelo qual os deputados podem retirar (destacar) parte da proposição a ser votada, ou uma emenda apresentada ao texto, para ir a voto depois da aprovação do texto principal. que modificam bastante a proposta aprovada, inclusive as questões fundamentais do acordo: dois destaques retiram do texto o valor do piso, estabelecido na proposta em R$ 3,5 mil para os ocupantes de cargos básicos e em R$ 7 mil para os cargos de direção; e outros dois derrubam o fundo e a participação da União nos pagamentos.

"A proposta original que eu apresentei equiparava [sem fixar um valor] o piso nacional aos salários pagos em Brasília; foi durante as discussões que criaram um valor, e esse valor é que acabou gerando confusão", explicou o deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), autor da PEC 300/08. Segundo ele, a proposta fechada com o governo não é a ideal, mas é a que foi possível neste momento, e os representantes dos policiais e bombeiros devem continuar mobilizados.

Restrições
Vaccarezza já adiantou que o governo tem duas restrições quanto à PEC, que são exatamente o valor e o fundo com recursos federais. "A semana de 6 e 7 de julho está fechada com essa pauta, por compromisso do presidente Michel Temer; vamos votar o pré-salO termo pré-sal refere-se a um conjunto de rochas no fundo do mar com potencial para a geração e acúmulo de petróleo localizadas abaixo de uma extensa camada de sal. Os reservatórios brasileiros nessa camada estão a aproximadamente 7 mil metros de profundidade, em uma faixa que se estende por cerca de 800 km entre o Espírito Santo e Santa Catarina. e em seguida a PEC dos policiais", disse.

O presidente da Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol), Jânio Bosco Gandra, esteve presente nas negociações e disse que os policiais estarão mobilizados e vão publicar os resultados da votação em diversos sites. "Em 180 dias, o governo tem de mandar o projeto com tudo isso - a forma como vai ser feito, de onde sai a dotação orçamentária e os valores. É isso o que vamos cobrar", ressaltou.

Nem todos os defensores da PEC estão satisfeitos. O presidente da Frente ParlamentarÉ uma associação suprapartidária de pelo menos 1/3 dos integrantes do Poder Legislativo Federal destinada a aprimorar a legislação referente a um tema específico. As frentes parlamentares estão regulamentadas pelo ato 69/05, da Mesa Diretora. Toda frente tem um representante oficial. As frentes podem utilizar o espaço físico da Câmara, desde que suas atividades não interfiram no andamento dos outros trabalhos da Casa, não impliquem contratação de pessoal nem fornecimento de passagens aéreas. em Defesa dos Policiais Militares e Bombeiros Militares, deputado Paes de Lira (PTC-SP), alerta que não será possível apresentar um novo texto para a proposta, como quer o líder do governo. "Pode até haver um acordo para aprovar os destaques e deixar a regulamentação para um projeto, mas o regimento da Câmara não permite a apresentação de um texto novo", disse.

Um dos problemas é que o texto já aprovado garante a aposentados e pensionistas o piso salarial das categorias, mas um texto novo poderia retirar essa medida, mesmo que não ela não seja alvo de destaque. "Isso torna a PEC totalmente diferente do que foi aprovado em plenário por 393 deputados, e isso não podemos permitir", acrescentou Lira.

O deputado Capitão Assumção (PSB-ES) acrescentou que tentará mobilizar os trabalhadores para aprovar a PEC como ela estava em março, ou seja, com a definição de um valor para o piso. Segundo ele, também é preciso tomar cuidado com a data da votação, para que ela não seja mudada por causa de dificuldades do governo para aprovar o pré-sal. "Isso é uma armadilha para votar uma matéria de interesse do governo e preterir a PEC", observou.







Notícia Postada em 29/06/2010 às 22:43:58 por: Redação site ABAMF

segunda-feira, 28 de junho de 2010

ARLINDO COITINHO O SANTANENSE ESCRITOR

Livramento perde escritor do cotidiano da fronteira

O domingo deixou mais triste o meio cultural da fronteira: faleceu na tarde de ontem, aos 67 anos, o escritor Arlindo Coitinho, um dos mais conhecidos autores de contos e romances do Rio Grande do Sul. O escritor morava há cerca de três meses no asilo Mário Motta, onde recebia atendimento e constantes visitas de amigos e familiares.
Com a saúde abalada em razão principalmente de pelo menos dois Acidentes Vascular Cerebral-AVCs, ele vinha exigindo cuidados especiais em todos os sentidos. Amigos do meio intelectual eram os que mais frequentemente o visitavam, ultimamente, contribuindo principalmente para combater a depressão de que o escritor foi acometido nos últimos tempos.
“Quando ao nosso escritor Arlindo Coitinho, que há cerca de três meses lá está internado por sua própria vontade, percebo que sua situação tem se agravado. Estando com a perna e braço direitos paralisados, não consegue mais se movimentar sozinho e é com certa dificuldade que se comunica, embora manifeste o seu contentamento com as pessoas que o visitam”, escreveu recentemente o também escritor Luciano Machado, em artigo publicado por A Plateia, depois de visitá-lo no asilo Mário Motta.
Arlindo Coitinho iniciou na vida literária no final da década de 70, incentivado por amigos e clientes da barbearia que possuia até então. O contato com personagens de diversos segmentos e a condição de “bem-informado” sobre o cotidiano da fronteira o levaram às páginas de A Platéia, onde atuou como repórter-policial até pelo menos a metade da década de 80. O estilo todo próprio de relatar os fatos policiais, abordando principalmente o lado humano dos personagens envolvidos, resultou em uma coluna diária que escreveu em A Plateia, chamada Segue o Baile, geralmente com ilustrações do chargista Fernando Lindote. Daí para o primeiro livro (Segue o Baile), reunindo as crônicas mais engraçadas da coluna publicada no jornal, foi um pulo.
Daí em diante, foram mais de 20 títulos, a grande maioria com lançamento independente. Conseguia apoio para custear a impressão, e depois vendia os exemplares de porta em porta. Lançou, entre outros, “As pragas do Padre Cordeiro”, “Pensão do Barroso”, “Bichicome”, “João Bispo”, “Vidas em fronteira”, “Segue o Baile II”, “Um tal Pardo Rivera”, “É a luta, doutor”, “Estórias do Edil Noventino”, “Habitante da Lua e Outras Histórias”, “O Segredo de Sinhá Filomena” e “Rubirosa e Outras Histórias”.
Arlindo Coitinho foi sepultado no final da tarde, em uma cerimônia simples que contou com as presenças de poucos amigos e dos familiares.

OBS. RETIRADO DO JORNAL ESTA MATERIA, PARA O BLOG COM A FINALIDADE DE DIZER QUE OS HOMENS QUE ESCREVEM TANTAS COISAS BONITA NÃO TEM O RECONHECIMENTO MERECIDO, LIVRAMENTO NUNCA LHE DEU MERECIMENTO QUE MERECIA DESCANSA EM PAZ JUNTO AO CRIADOR.

Arquivo do blog