TRANS. DO PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO PECUARIA EM 19/11/2009

TRANS.  DO  PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO  PECUARIA EM  19/11/2009
ALDO VARGAS

TRADIÇÃO E CULTURA

teixeirinha

Loading...

gildo

Loading...

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA AMADA.

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA  AMADA.

Pesquisar este blog

CAPITAL GAUCHA PORTO ALEGRE

CAPITAL GAUCHA  PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

TROPEIRO VELHO

  • TROPEIRO VELHO

TRADIÇÃO E CULTURA

A VOCE CARO VISITANTE E UM PRAZER TER AQUI VISITANDO ESTE BLOG DESTE GAÚCHO, QUE NÃO TEM LADO PARA CHEGAR, GOSTO DE UMA AMIZADE E UM BOA CHARLA, TRATO TODOS COM RESPEITO PARA SER RESPEITADO MAS SE FOR PRECISO QUEBRO O CHAPEU NA TESTA PRA DEFENDER UM AMIGO AGARRO UM TIGRE A UNHA. AGRADEÇO A TODOS QUE DEIXAM SEU RECADO, POSTADO NESTE BLOG.

GALPÃO GAUCHO

GALPÃO  GAUCHO

A BANDEIRA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, TE AMO MEU RIO GRANDE

A  BANDEIRA  DO  ESTADO  DO  RIO GRANDE  DO  SUL,  TE  AMO  MEU  RIO  GRANDE

sábado, 3 de abril de 2010

AO CANTOR J BARBOSA

HOJE AS 19,30 HS TIVE DE RECEBER O CANTOR CONPOSITOR SANTANENSE RADICADO A MAIS DE 25 ANOS NA CAPITAL DO ESTADO O MEU AMIGO J BARBOSA GAUCHO M DOS DOIS LADO CRIA DAQUI DOS CERROS VERDES INTERIOR DE LIVRAMENTO, DAQUI SAIU COM SUA CORDEONA DE BOTÃO E HOJE FAZ SUCESSO POR ESTE RIO GRANDE A FORA, COM A MUSICA CHEIRO DE CALPÃO AQUILO QUE O GAUCHO E HOMEM SIMPLES GOSTA MESMO, J BARBOSA CRIA DE LIVRAMNETO AMIGO A MUITO TEMPO AO CHEGAR DE PASSADA ESTEVE AQUI NO RANCHO DESTE AMIGO PARA ME TRASER UM DOS SEUS PRIMEIRO TRABALHO QUE EU AINDA NÃO TINHA NA MINHA COLEÇÃO DE CDS DOS AMIGO QUE ESTÃO SEMPRE ME PRESENTEANDO COM SEUS TRABALHO MARAVILHSOS DA NOSSA MUSICA GAUCHA, POR ISSO DIGO A AMIZADE VALE MAIS QUE QUALQUER PUNHADO DE DINHEIRO. ESSA FICA PARA SEMPRE E DINHEIRO A GENTE GASTA, SEU TRABALHO O CD QUE TEM POR TITULO PERFIL CAMPEIRO COM 14 MUSICAS MARAVILHOSA E QUE TEVE A APRESENTAÇÃO DO NOSSO POETA SANTANENSE EDILSON VILLAGRAN MARTINS, FOI DE GRANDE ORGULHO RECEBER ESSE AMIGO QUE CHEGOU LÁ DE PORTO ALEGRE PARA VISITAR SEUS FAMILIARES EM LIVRAMENTO MAIS TEVE UM POUCO DO SEU TEMPO PARA CHEGAR AQUI NESTE MEU RANCHO SIMPLES, E ME DEIXAR UM CD E DARME UM LONGA ABRAÇO E BATRE UM PAPO COM ESTE INDIO VEIO GRSSO QUE NEM TOCO DE AMARRAR BURRO, MAS ASSIM EU VOU CONQUISTANDO MEUS AMIGO QUE ESCOLHO A PONTA DE DEDO OBRIGADO PELA VISITA AMIGO J BARBOSA CONTERRANEO CANTOR QUE DIVULGA AS TRADIÇÕES DESTA TERRA GAUCHA ASS GAUCHO ALDO VARGAS

BIOGRAFIA DE GILDO DE FREITAS

Biografia

Nome: Leovegildo José de Freitas.

Data de Nascimento: 19 de junho de 1919.

Local de Nascimento: Bairro do Passo d'Areia, Porto Alegre, filho de Vergílio José de Freitas e Georgínia de Freitas.

Profissão: Muitas, mas a rigor apenas uma: trovador e cantador popular.




Cronologia

1931 - Gildo foge de casa pela primeira vez, aos 12 anos.


1937 - É tido como desertor, por não ter se apresentado à convocação militar. Envolve-se na primeira briga séria, onde morre um jovem amigo. Primeira prisão. Cria ódio da polícia.


1941 - Casamento com dona Carminha. Passa a ter morada fixa no bairro de Niterói, em Canoas, Grande Porto Alegre. Continuam os contratempos com a polícia.


1944 - Nasce o primeiro filho depois de dois perdidos. Gildo começa a viajar bastante e a ser reconhecido como trovador. A polícia mantem-se em cima.


1949 - Trovador com fama ascendente em todo o Rio Grande do Sul, desaparece de casa e reaparece na fronteira gaúcha. Em longa temporada passada no Alegrete, mal consegue caminhar, com problema de paralisia nas pernas.


1950/51 - Em São Borja, conhece Getúlio Vargas e entra em sua campanha política. Param as perseguições policiais. Primeira viagem ao Rio de Janeiro.


1953/54 - Faz fama como trovador nos progamas de rádio ao vivo em Porto Alegre. Volta à viver no Passo d`Areia, com a família.


1955 - Encontro e identificação como Teixeirinha. Muitas viagens. Mudança para o bairro Passo do Feijó e abertura do primeiro bolicho.


1956/60 - Maior atração do progama Grande Rodeio Coringa dos domingos à noite. Mais viagens com Teixeirinha.


1961/62 - Declínio dos progamas de rádio ao vivo, televisão começando. Gildo resolve largar de mão a "cantoria" e inventa de criar porcos.


1963 - Viagem a São Paulo para gravar o primeiro disco.


1964 - É lançado o primeiro LP. Em meados do ano é "convidado" a prestar depoimento sobre suas ligações com o trabalhismo.


1965 - Início da célebre disputa com Teixeirinha através dos discos. Jango o convida para viver no Uruguai e ele não aceita.


1970/77 - Várias internações em hospitais, sucesso popular das gravações, muitas viagens. A "briga" com Teixeirinha chega ao auge. Mudança para Viamão.


1978 - Inaugura em Viamão a Churrascaria Gildo de Freitas e dá início aos bailões.


1982 - Grava o último disco, para a mesma gravadora dos outros todos, Continental. Última internação em hospital, últimas aparições públicas em programas de TV. Morte em 4 de dezembro.


PS: A Lei Estadual RS 8.819/89 que rege sobre o "Dia do Poeta Repentista Gaúcho" anota o falecimento de Gildo como 04 de dezembro de 1982.

Fonte:
Fonseca, Juarez (1985). Gildo de Freitas: Coleção Esses Gaúchos. Porto Alegre, RS: Editora Tchê.



Observações: O A Lei Estadual que te referes não é nº 8819 e sim 8814, de 10 de janeiro de 1989, cujo Projeto de Lei foi de autoria do então Deputado Joaquim Moncks e justificativa com mais de vinte folhas, de minha autoria.

Esta Lei, "Fixa o dia 4 de dezembro como o "DIA DO POETA REPENTISTA GAÚCHO e do ARTISTA REGIONAL GAÚCHO", no Estado do Rio Grande do Sul. Consagra como patronos respectivamente Gildo de Freitas e Teixeirinha, pois ambos morreram em 4 de dezembro, o Gildo em 1982 e o Teixeirinha em 1985.

Sendo o que tenho para o momento, espero ter colaborado com o amigo. Um abraço do Paulo Roberto de FRAGA CIRNE.

Nota do Cohen: As correções acima foram enviadas para mim pelo comandante Paulo Roberto de Fraga Cirne em 12 de setembro de 2007, pelo qual sou muito grato e também todos os visitantes. Não modifiquei as datas pois elas são oriundas do livro do Juarez e me sentiria mal fazendo correção diretamente sobre o texto de origem. Mas fica a sábia observação do mestre Fraga Cirne.









Discografia em Vida:

Gildo de Freitas - O Trovador dos Pampas




Gildo de Freitas - O Trovador dos Pampas
Vida de Camponês




O Desafio do Padre e o Trovador




Gildo de Freitas e SUA CARAVANA




De Estância em Estância
Vida de Camponês




Zezinho & Julieta




Gildo de Freitas - Rei do Improviso




Gildo de Freitas




Gildo de Freitas e Seus Convidados




O Ídolo - Gildo de Freitas




Gildo de Freitas e Os Taytas
Gauchada de Sul a Norte




Gildo de Freitas




Gildo de Freitas - Mais Sucessos




Gildo de Freitas - O Rei dos Trovadores




Figueira Amiga






Discografia após seu falecimento:

Sucessos Imortais de Gildo de Freitas




20 Anos de Glória




Lembranças de Gildo de Freitas




Lembrando Gildo de Freitas




Gildo de Freitas VIVO




Os Grandes Sucessos de Gildo de Freitas

RECORDANDO ONDE NASCI

A TAPERA DA MINHA INFANCIA
FUI VISITAR A TAPERA NASCI
RECORDAR BELA INFANCIA QUE VIVI
COM MEUS PAIS QUE QUE ALI MUITAS COISAS BOAS APRENDI.

NÃO EXISTE MAIS NADA APENAS RECORDAÇÃO DAS COISAS BELAS
E TÃO SIMPLES QUE NAGUELA TAPERA EU VIVI HOJE SO TEM RECORDAÇÃO
DA MINHA MENTE DA TAPERA EXISTENTE.

RECORDAR E VIVER O PASSADO TORNA A GENTE CRIANÇA NOVAMENTE.
E FAZ AGENTE FICAR CONTENTE E PENSAR NO PRESENTE E O FUTURO
PARA SEMPRE, E TUDO TERMINA NUM OLHAR DE MOMENTO COMO O ARREPENDIMENTO DE NÃO PODER CONSERVA ATE HOJE PRESENTE.

AO DEIXAR A VELHA TAPERA FOI DIFICIL RESISTIR.
AO OLHAR PARA TRAS PARECIA VER MEUS PAIS SORRINDO CONTENTE..
POR TER VISTO SEU FILHO ALI NOVAMENTE CONTEMPLANDO O PASSADO
E O PRESENTE NOS SEU OLHAR DE MENINO INOCENTE

TRINTA ANOS SE PASSOU E NADA EU ESQUECI AO VER MINHA MORADA
QUE HOJE NÃO RESTA APENAS APENAS O POSO DE TIRAR AGUA DE BALDE
QUE DE ONDE A SEDE EU MATAVA , ADEUS TAPERA QUERIDA ALI ONDE NASCI.
ASS. GAUCHO ALDO VARGAS

CARRETA E SEUS APETRECHOS

A CARRETA
PEÇAS QUE COMPÓE A CARRETA
CABEÇALHO MUCHACHO CAMBÃO CANSIL CORDA DE COIÇE EIXO RONDANA
RODADO MESA , SOALHO VARILHA RECAVEM,CHEDA CHAVEIA, CAVIA,CADEIAS,FUERO E MATA BOI, IMPULQUEIRA,CAVA CANGA DE COICE CANGA DE QUARTA, CANGA DE PONTA
TAMUEIRO QUE , ATÁ O CANHÃO CANZIL, BROCHA OU JUGO AJOJO. CABEÇALHO MUCHACHO CAMBÃO CANSIL CORDA DE COIÇE EIXO RONDANA


CARRETA DE CEM ARROBA PARA CINCO JUNTA DE BOI
CARRETEIRI: VAI A CAVALO COM A GUIADA OU PICANA CUTUCANDO OS BOIS OU NA PONTA COM A GUIADA NA CONGA E NO OMBRO E OS BOIS VÃO SEGUINDA ATRAS.
ASSIM ERA NOSSOS CARRETEIROS NO SECULO PASSADO HOJE NÃO SE VE MAIS CARRETAS SÓ EM MUSEU OU ALGUEM QUE TENHA ELA NO FUDO GALPÃO. PARA LEMBRAR DOS ANOS DE SACRIFICIO.AASS GAUCHO ALDO VARGAS

LENDA DO CHIMARRÃO

Uma tribo de índios guaranis vivia do seu trabalho na lavoura: derrubava um pedaço de mata, plantava mandioca e milho, mas depois de quatro ou cinco anos a terra se cansava, parava de produzir e a tribo precisava emigrar para outras paragens.

Cansado de tais andanças um velho índio um dia recusou-se a seguir adiante e preferiu ficar sozinho na tapera. A mais jovem de suas filhas, a bela Jary, ficou numa situação difícil: ou seguia adiante com os jovens da tribo, ou ficava na solidão, prestando arrimo ao ancião até que a morte o levasse para a paz do Yvi-Marai. Apesar dos pedidos dos moços ela permaneceu junto ao velho pai.

Essa atitude de amor mereceu uma recompensa. Um dia chegou um pajé desconhecido e perguntou a Jary o que ela queria para se sentir feliz. A moça nada pediu, mas o velho pai sim: "- Dai-me renovadas forças para poder seguir adiante e levar Jary ao encontro da tribo que lá se foi".

Entregou-lhe o pajé uma planta muito verde, perfumada de bondade, e ensinou que a plantasse, colhesse as folhas, secasse-as ao fogo, triturasse, colocasse os pedacinhos num porongo (fruto também conhecido como cabaça e com o qual, depois de seco, se faz a cuia), acrescentasse água quente ou fria e bebesse essa infusão: "-Terás nessa nova bebida uma nova companhia saudável mesmo nas horas tristonhas da mais cruel solidão". Deu a receita e partiu.

Foi assim que nasceu e cresceu uma planta chamada caá-mini. Dela resultou a bebida caá-y, que os brancos mais tarde chamaram de chimarrão.

Sorvendo aquela verde seiva o ancião recuperou-se, ganhou força e pode empreender a longa viajem até o reencontro com os seus. Ao chegarem, foram recebidos com a maior alegria e a tribo toda adotou o costume de beber a infusão da erva verde, amarguinha e gostosa, que dava força, coragem e confortava mesmo nas horas tristonhas ou da mais total solidão.

Evolução Histórica
O uso desta planta como bebida tônica e estimulante já era conhecido pelos indígenas de toda a América. Em túmulos pré-colombianos de Ancon, perto de Lima, no Peru, foram encontradas folhas de erva mate ao lado de alimentos e objetos, demonstrando o seu uso pelos incas.

Desde os primórdios da ocupação castelhana no Paraguai, indicado por Don Hernando Arios de Saavedra (governante de 1592-1594), observou-se a utilização da erva mate pelos indígenas.

Os primeiros jesuítas estabelecidos no Paraguai, fundaram várias feitorias, nas quais o uso das folhas de erva mate já era difundido entre os índios guaranis, habitantes da região.

Posteriormente observou-se que os indígenas brasileiros, que habitavam as margens do rio Paraná, também se utilizavam dessa planta. Outras tribos localizadas em regiões onde não havia ocorrência natural da essência, possuíam o hábito de consumí-la, obtendo-a através de permuta. Essas tribos localizadas no Peru, Chile e Bolívia, transportavam o produto por milhares de quilômetros.

Orientados pelos jesuítas, instalados num território chamado Companhia de Jesus do Paraguai (denominação dada no século XVII aos territórios das províncias do Paraguai, Buenos Aires e Tucuman), os indígenas iniciaram as plantações de erva mate.

Junto com a implantação dos ervais, os jesuítas aprofundaram-se no estudo do sistema vegetativo da planta, visto que as sementes caídas das erveiras não germinavam naturalmente. Os jesuítas definiram a melhor época de colheita de sementes e um padrão de preparo e cultivo da erva mate.

Por mais de 1 século e meio (de 1610 a 1768, quando se deu a saída forçada da Companhia de Jesus), os jesuítas exploraram o comércio e a exportação do mate. O Padre Nicolós Durain observou que os índios tomavam o mate em água quente, não podendo passar sem ele no trabalho, pois era, muitas vezes, o único sustento.

As bandeiras paulistas, que de 1628 a 1632 percorreram as regiões de Guairá, regressaram trazendo índios guaranis prisioneiros, e com eles o hábito de beber chimarrão.

REPOSTA A RAUL GIL

Prezados senhores,
Viemos através deste, únicos autorizados a falar em nome da Fundação Vitor Mateus Teixeira – Teixeirinha, para manifestar nosso apoio à família, aos senhores conselheiros desta Fundação, aos fãs de Teixeirinha e comunicadores de rádios locais em Porto Alegre, que desde a publicação do programa do dia 28 de março, tem nos procurado para expressar seu repúdio as palavras do Sr. Regis Tadeu, do quadro "Boca do Forno" "Boca do Povo”, com relação à música "Coração de Luto”, de autoria de Vitor Mateus Teixeira, o cantor e compositor Teixeirinha.
Considerando ser nosso dever estatutário e moral de preservação da memória deste artista que, mesmo passados 24 anos de sua morte, continua líder de vendagem de discos na categoria regional e, em 06 lugar – nacional - no ranking de execução, conforme dados no Informativo do ECAD maio-junho/2008, comungamos ser direito destas pessoas verem a memória de Teixeirinha respeitada, com a devida retratação em público do citado senhor, no mesmo canal, programa e hora, pois não se espera que, ainda existam pessoas que não respeitem o direito constitucional de livre expressão, especialmente quanto à expressão musical, esta que não tem fronteiras e é entendida numa linguagem universal.
Compreendemos que gosto é pessoal, mas o desrespeito com o ser humano esteja esse vivo ou não, jamais poderá ser aceito ou justificado.
De nossa parte, em consideração e respeito à pessoa do Sr. Raul Gil e sua produção, desde já agradecemos a atenção, uma vez que postura contrária não esperamos, e aproveitamos o momento para expor nosso trabalho fundacional de preservação da memória de Vitor Mateus Teixeira – Teixeirinha, no site WWW.teixeirinha.com.br
Atenciosamente,
Elizabeth Teixeira
Diretora-executiva
Fundação Vitor Mateus Teixeira – Teixeirinha
CNPJ n.03.578.343/0001-26

http://www.raulgil.com.br/contato_resposta.asp?destino3=
Sua mensagem foi enviada com sucesso.

Você receberá uma cópia no seu próprio endereço de e-mail confirmando o envio. O tempo para que você receba esta copia varia de acordo com seu provedor podendo levar até 2 dias.

O GAUCHO DE SÃO BORJA

Carta Testamento de Getúlio Vargas
Mais uma vez, a forças e os interesses contra o povo coordenaram-se e novamente se desencadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam, e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes.
Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade social. Tive de renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo. A campanha subterrânea dos grupos internacionais aliou-se à dos grupos nacionais revoltados contra o regime de garantia do trabalho. A lei de lucros extraordinários foi detida no Congresso. Contra a justiça da revisão do salário mínimo se desencadearam os ódios. Quis criar liberdade nacional na potencialização das nossas riquezas através da Petrobrás e, mal começa esta a funcionar, a onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi obstaculada até o desespero. Não querem que o trabalhador seja livre.
Não querem que o povo seja independente. Assumi o Governo dentro da espiral inflacionária que destruía os valores do trabalho. Os lucros das empresas estrangeiras alcançavam até 500% ao ano. Nas declarações de valores do que importávamos existiam fraudes constatadas de mais de 100 milhões de dólares por ano. Veio a crise do café, valorizou-se o nosso principal produto. Tentamos defender seu preço e a resposta foi uma violenta pressão sobre a nossa economia, a ponto de sermos obrigados a ceder.
Tenho lutado mês a mês, dia a dia, hora a hora, resistindo a uma pressão constante, incessante, tudo suportando em silêncio, tudo esquecendo, renunciando a mim mesmo, para defender o povo, que agora se queda desamparado. Nada mais vos posso dar, a não ser meu sangue. Se as aves de rapina querem o sangue de alguém, querem continuar sugando o povo brasileiro, eu ofereço em holocausto a minha vida.
Escolho este meio de estar sempre convosco. Quando vos humilharem, sentireis minha alma sofrendo ao vosso lado. Quando a fome bater à vossa porta, sentireis em vosso peito a energia para a luta por vós e vossos filhos. Quando vos vilipendiarem, sentireis no pensamento a força para a reação. Meu sacrifício vos manterá unidos e meu nome será a vossa bandeira de luta. Cada gota de meu sangue será uma chama imortal na vossa consciência e manterá a vibração sagrada para a resistência. Ao ódio respondo com o perdão.
E aos que pensam que me derrotaram respondo com a minha vitória. Era escravo do povo e hoje me liberto para a vida eterna. Mas esse povo de quem fui escravo não mais será escravo de ninguém. Meu sacrifício ficará para sempre em sua alma e meu sangue será o preço do seu resgate. Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora vos ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História.
Rio de Janeiro, 23/08/54
Getúlio Vargas

O RADIALISTA DO POVO

MEUS CAROS COMPANHEIRO AQUI EM SANTANA TEM UM GAÚCHO PRA LÁ DE MACANUDO
DESTES HOMEM QUE NÃO TEM PAPA NA LINQUA, FALA O QUE PENSA E DIZ SEM AO ALDO DA VERDADE, E DAS PESSOAS MAIS HUMILDE AQUELES QUE POR DETINO DA SORTE OU DO PROPRIO DESTINO ESTA SENPRE AO SEU LADO PARA DEFENDER PRINCIPALMENTE DE LAD DA RAZÃO ISSO E O QUE MAIS IMPORTA.
ASSIM TEMOS UM DEFENSOR DAQUILO QUE E DE DIREITO DO CIDADÃO DO NOSSO MUNICIPIO, TRABALHA COM PRAZER E TUDO QUE FAZ PROCURA FAZER BEM FEITO SUA HONESTIDADE, E SERIEDADE , CONDUTA INABALADA EM TODOS, LADOS QUE VC PROCURAR SABER. SABE MINHA GENTE ESTE HOMEM CHAMA-SE DAGBETO REIS ESTOU FALANDO NÃO POR TER UM AMIZADE PARTICULAR COM O AMIGO DIGO PORQUE O INDIO VEIO MEREÇE, SE FOR DO LADO POLITICO SABE O QUE DIZ DO LADO TRADICIONALISTA TAMBEM ENTENDE E UM CARNAVALESCO DE PRIMEIRA QUANDO ERA PRESIDENTE DA LISA E ESTAVA A FRENTE , O CARNAVAL EM LIVRAMNETO SAIU EM PERFEITAS CONDIÇÕES UM COMPANHEIRO DO PARTIDO DOS TRABALHADORES, QUE SABE TRABALHAR EM DEFESA DO PARTIDO MAIS NÃO FOGE NUNCA DE SEUS IDEAIS, TRABALHA COM A DEP EMILIAFERNANDES QUE TEM SEU GABINETE AQUI EM LIVRAMENTO, DESENPENHA FUNÇÃO DE RADIALISTA NA RADIO CULTURA DE SANTANA DO LIVRAMNETO COM UM PROGRAMA COM UMA AUDIENCIA MARAVILHOSA E UM ACADEMICO, ASSIM COM CERTEZA UM DIA QUERO VER VOCE COMPANHEIRO DEFENDENDO OS INTERESE DOS SANTANENSE NA CAMARA DE VEREADORES DA NOSSA CIDADE, ASSIM ESPERO QUE ELE TENHA A PROTEÇÃO DO NOSSO CRIADOR MAIOR PARA CHEGAR A ONDE DESEJAR SEM NUNCA PRECISAR PIZAR NO SEU SEMELHANTE E ISSO EU TENHO CETEZA QUE ELE NUNCA VAI FAZER PORQUE SUA CRIAÇÃO E RESPEITO QUE ELE TEM PELO SEU SEMELHANTE E DE PRIMEIRA QUALIDADE, PARABENS AMIGO SIGA SEMPRE ASSIM, ASS GAUCHO ALDO VARGAS

sexta-feira, 2 de abril de 2010

O MITO ESPIRITA

Francisco Cândido Xavier, mais conhecido por Chico Xavier, considerado o médium do século e o maior psicógrafo de todos os tempos, nasceu em Pedro Leopoldo, pequena cidade do estado de Minas Gerais, Brasil, no dia 2 de Abril de 1910.

Filho de um operário pobre e inculto, João Cândido Xavier, e de uma lavadeira chamada Maria João de Deus, falecida em 1915, quando o filhinho contava apenas com 5 anos de idade. Na altura tinha mais 8 irmãos, tendo todos sido distribuídos por vários familiares e pessoas amigas. Como órfão de mãe em tenra idade, sofreu muito em casa de pessoas de precária sensibilidade.

Aos nove anos seu pai, já casado novamente, empregou-o como aprendiz numa indústria de fiação e tecelagem. De manhã, até às 11 horas, freqüentava a escola primária pública, depois trabalhava na fábrica até às 2 horas da madrugada. Aprendeu mal a ler e a escrever. Quando concluiu o pequeno curso da escola pública empregou-se como caixeiro numa loja e mais tarde como ajudante de cozinha e café.

Em 1933 o Dr. Rômulo Joviano, administrado da Fazenda Modelo do Ministério da Agricultura, em Pedro Leopoldo, deu ao Jovem Xavier uma modesta função na Fazenda e lá se tornou um pequeno funcionário público em 1935, tendo trabalhado consecutivamente até finais dos anos cinqüenta, altura em que foi aposentado por invalidez (doença incurável nos olhos), com a categoria de escrevente datilógrafo . Não podemos deixar de registrar, sob pena de cometermos grave omissão, que durante as décadas que esteve ao serviço do Ministério da Agricultura, jamais -- não obstante a sua precária saúde e trabalho doutrinário, fora das horas de serviço -- deu uma única falta ou gozou qualquer tipo de licença, conforme documentos facultados pelo M. A. Em finais da mesma década de cinqüenta, vai residir em Uberaba - MG, por motivos de saúde e a conselho médico, onde permanece até hoje e apenas com a sua magra reforma (aposentadoria).

As suas faculdades mediúnicas são extraordinárias, Sua mediunidade (capacidade natural de ser intermediário entre o plano material e o plano espiritual) manifestou-se, quando tinha 4 anos de idade, pela clarividência e clariaudiência, pois via e ouvia os Espíritos e conversava com eles sem a mínima suspeita de que não fossem homens normais do nosso mundo. Já como jovem e depois como adulto, muitas vezes não diferencia de imediato os homens dos Espíritos. Aos 5 anos, já órfão de mãe, esta manifestou-se várias vezes junto dele encorajando-o e dizendo-lhe que não poderia ir para casa porque estava em tratamento, mas que enviaria um bom anjo que juntaria novamente a família. Esse bom anjo foi a D. Cidália, a segunda esposa de João Xavier, que para casar com o seu pai fez questão de reunir todos os filhos do primeiro casamento e lhe daria depois mais cinco irmãos.

Quando tinha 17 anos, fundou-se o grupo espírita Luiz Gonzaga , onde rapidamente desenvolveu a psicografia, isto é, a faculdade de escrever mensagens dos Espíritos. Época em que se desligaria da Igreja Católica onde deu os primeiros passos na espiritualidade, mas onde não encontrava explicação para os fenômenos que se passavam com ele, designadamente a perseguição de espíritos inferiores de que era alvo. O padre que o ouvia nas confissões foi um conselheiro, um verdadeiro pai e não o dissuadiu do caminho que iniciou no Espiritismo, mas abençoou-o e nunca deixou de ser seu amigo.

No centro espírita começou a psicografar poemas notáveis de famosos poetas mortos, num nível literário tão elevado que os próprios companheiros do grupo não conseguiam atingir integralmente o seu conteúdo. Muitos desses poetas eram totalmente desconhecidos do meio, nomeadamente alguns portugueses: António Nobre, Antero de Quental, Guerra Junqueira e João de Deus. A 9 de Julho de 1932, seria publicada a célebre PARNASO DE ALÉM-TÚMULO , a sua primeira obra psicografada que iria abalar os meios intelectuais do Brasil e tornar conhecida a pacata Pedro Leopoldo.

O estilo dos 56 poetas mortos, entre os quais vários portugueses, era precisamente idêntico ao estilo dos mesmos enquanto vivos, informavam os literatos das academias e universidades dos grandes centros culturais do Brasil, embora não soubessem explicar o fenômeno. Seria o início da sua imponente obra mediúnica que hoje já ultrapassa os 350 livros.

Bastava apenas um desses livros para constituir um roteiro seguro para o homem na Terra rumo à sua alforria, à sua felicidade. Seus ensinamentos revivem plenamente o Evangelho de Jesus e as lições do Consolador que Kardec -- o discípulo fiel de Jesus -- nos legou com tanto sacrifício e renúncia.

Mas de mil entidades espirituais nos deram informações através das suas abençoadas mãos, provando à saciedade a imortalidade do Espírito e a sua comunicabilidade com os homens. Mas falar de Chico Xavier é falar de EMMANUEL que indelevelmente estará ligado à sua missão. Esse venerando Espírito é o seu protetor espiritual e manifestou-se-lhe pela primeira vez de forma ostensiva em 1931, acompanhado-o desde então até hoje. A respeito desse Benfeitor espiritual nos diz o próprio médium:
Lembro-me de que num dos primeiros contactos comigo, ele me preveniu que pretendia trabalhar ao meu lado, por tempo longo, mas que eu deveria, acima de tudo, procurar os ensinamentos de Jesus e as lições de Allan Kardec e disse mais que, se um dia, ele, Emmanuel, algo me aconselhasse que não estivesse de acordo com as palavras de Jesus e Kardec, que eu devia permanecer com Jesus e Kardec, procurando esquece-lo.

Emmanuel propõe ainda ao jovem Xavier mais três condições para com ele trabalhar: 1ª condição, DISCIPLINA 2ª condição, DISCIPLINA, 3ª condição, DISCIPLINA.

Entre as muitas dezenas de obras mediúnicas de Emmanuel, destacamos os cinco documentos históricos, retirados dos arquivos do plano espiritual, que constituem autênticas obras primas de literatura, e que nos mostram o nascimento do cristianismo e a sua paulatina adulteração logo nos primeiros séculos da era. São os romances mediúnicos baseados em fatos verídicos: HÁ 2000 ANOS ... (a autobiografia de Emmanuel, a história do orgulhoso senador romano Publico Lentulus), 50 ANOS DEPOIS , AVE, CRISTO , RENÚNCIA e PAULO E ESTEVÃO (a história de um coração extraordinário, que se levantou das lutas humanas para seguir os passos do Mestre, num esforço incessante ). Esta última obra, de 553 paginas, por si só justificaria a missão mediúnica de Chico Xavier, segundo o erudito J. Herculano Pires.

Em 1943 começara a utilizar a mediunidade do abnegado médium uma nova entidade espiritual que assinará as suas mensagens com o nome André Luiz. Quem não conhece, mesmo aqui em Portugal, a quadra:

Não se irrite. SORRIA
Não critique. AUXILIE
Não grite. CONVERSE
Não acuse. AMPARE


André Luiz é o pseudônimo utilizado por um espírito que foi médico e cientista na sua última existência e que desencarnou numa clínica do Rio de Janeiro pelo início da década de trinta. É considerado o verdadeiro repórter de além-túmulo. Relata-nos numa séria de 11 livros a experiência do seu pensamento, as dificuldades iniciais, o reencontro com familiares e conhecidos que o precederam na partida para o plano espiritual a observação e as expedições de estudo junto de Espíritos de elevada evolução. Esses relatos começam com o já célebre, livro NOSSO LAR (nome duma cidade do plano espiritual), hoje traduzido em vários idiomas, entre eles o Japonês e o Esperanto e que já vai na 40ª edição em Português, com 800.000 exemplares editados até hoje. Obra que também iria causar e ainda causa uma certa polemica. Nessa série de reportagens a alma humana é profundamente escalpelizada, e onde se confirma na prática os ensinamentos que Jesus nos legou há dois milênios atrás e que Kardec relembra e amplia tão bem sob orientação do Espírito de Verdade. Um dia, no futuro, os médicos, os psicólogos, os sociólogos, etc., ficarão admirados pela sabedoria neles contida, que já no século XX se encontrava no Planeta, apontando diretrizes segura para a felicidade e paz entre os homens.

A obra monumental de Chico Xavier que se considera, segundo suas próprias palavras: um servidor humilde -- humilde no sentido da desvalia pessoal , jamais serviu para beneficiar materialmente a sua pessoa. Todos os direitos autorais foram cedidos graciosamente a instituições espíritas, nomeadamente à Federação Espírita Brasileira, e a instituições de solidariedade social. Quando as autoridades públicas lhe concedem títulos de cidadania (mais de cem já lhe foram concedidos) diz que o mérito não é para ela mas para os Espíritos e sobretudo para a Doutrina Espírita que revive os ensinamentos de Jesus na sua plenitude e que ele não passa de um poste obscuro para a colocação do aviso de que a Doutrina Espírita foi premiada com essas considerações públicas .

Há que registrar também que várias centenas de instituições de solidariedade social forma criadas e inspiradas no seu exemplo e obra: orfanatos, escolas para os pobres, lares de deficientes, sopas dos pobres, campanhas do quilo, ambulatórios médicos, alfabetização de adultos, bibliotecas, etc., etc.
Antes de encerrarmos estas notas gostaríamos de registrar ainda o seu ponto de vista em relação às outras doutrinas, filosofias e ideologias, aliás que são o do próprio Espiritismo, mas passemos-lhe novamente a palavra:
Nosso amigo espiritual, Emmanuel, nos aconselha a respeitar crenças, preconceitos, pontos de vista e normas de quaisquer criaturas que não pensem como nós, mas adverte-nos que temos deveres intransferíveis para com a Doutrina Espírita e que precisamos guardar-lhe a limpidez e a simplicidade com dedicação sem intransigências e zelo sem fanatismo .

Estes são alguns dos traços biográficos desse abnegado bem-feitor que renunciou a tudo para que o mundo seja um pouco melhor e que dá pelo nome simples de Chico Xavier.




< Voltar para "Biografias"

< Voltar para "Homenagem ao Chico Xavier"

A SOCIEDADE CRUEL QUE VIVEMOS

E LAMENTAVEL NOS EM PLENO SECULO XXI LIGAR UM APARELHO DE TELEVISÃO, E VER AS IMAGEMS QUE CHOCAM OS SERES HUMANOS PRINCIPALMENTE QUEM TEM CORAÇÃO, E AGREDITA QUE UM DIA VAMOS SÓ ASSISTIR COISAS BOAS MAIS SABE-SE QUE E UMA ILUSÃO, MAIS DEVEMOS LUTAR CONTRA A MALDADE QUE AS PESSOAS FAZEM COM O SEU IRMÃO, ME REFIRO A REPORTAGEM QUE ASSISTI NA RBSTV E SBT COM O MORADOR DE RUA NA CAPITAL GAUCHA PORTO ALEGRE DESTE CIDADÃO QUE IA NO SEU CARRO E RESOLVEU MIXAR E AINDA NÃO CONTENTE COM ESSE ATO MALDOSO PINTAR ELE COM TINTA PRATA, ISSO E UM BARBARISMO CRUEL COMETIDO POR UM DESQUALIFICADO SEM CORAÇÃO , SEM RESPEITO, POR SI PROPRIO. ALEM DESTE HOMEM JÁ SER UM ESCLUIDO DA NOSSA SOCIEDADE PRECONCEITUOSA , RACISTA E AGRECIVA AS PESSOAS HUMILDE NOS DEPARARMOS COM ESSA CRUELDADE. ESSE CIDADÃO TEM QUE PAGAR UM PREÇO PERANTE A JUSTIÇA POR O ATO QUE COMETEU E PEDIR PERDÃO AO NOSSO CRIADOR , AO UMILHAR UM IRMÃO SEU, QUEM SABE EM OUTRA ENCARNAÇÃO ELE VENHA UM MENDIGO DE RUA PARA SENTIR NA PROPRIA CARNE O QUE ELE FES CONTRA NOSSO IRMÃO, ASSIM ESPERO QUE NOSSAS AUTORIDADES CONSTITUIDA E QUE TEM DEVER DE PROTEGER A NOSSA SOCIEDADE FAÇA A JUSTIÇA DE LEVAR ELE A PAGAR DENTRO DA LEI SUA CRUELDADE QUE FEZ, ASS GAUCHO ALDO VARGAS
Fundação Teixeirinha agradece o incentivo que sempre recebe das seguintes entidades e empresas:

Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, Ministério Público Estadual, Ministério da Cultura, Solar dos Câmaras, Casa de Cultura Mário Quintana, Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore, Prefeituras Municipais do Rio Grande do Sul, Instituto Municipal da Música IEN, Instituto Estadual de Cinema – IECINE, Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, Warner Music do Brasil, ACIT Comercial Fonográfica, Emi Music do Brasil, Galpão Crioulo Discos, RBS TV: Tele Domingo, Jornal do Almoço, J.A. Notícias Galpão Crioulo; Rádio Rural, Rádio Gaúcha; Rádio Guaíba; Canal Rural; TV COM: Estúdio 36; Diário Gaúcho, Zero Hora, Correio do Povo, Jornal do Nativismo, Diário de Canoas, Associação Rio-grandense de Fundações ARF, SBACEM, Fermata, SOCINPRO, VTF Produções, Ana Terra Produções, Stúdio Nove Produtora, Logic Service Informática, RF Eletrônica, Laboratório Saúde, La Photo Foto Design, Luffing Guitar and Bass, Gemmax, Sul Eventos; Editora Internacional Teixeirinha, Teixeirinha Produções Artísticas bem como seus Conselheiros, fãs, amigos e artistas


.:: Onde estamos ::.
Rua Andrade Neves, 100 CJ 301/302 - Centro - Porto Alegre - RS
cep: 90010-210
Fone/Fax: (51) 3225-3575

FVMT FUNDAÇÃO TEIXEIRINHA

Fundação Teixeirinha agradece o incentivo que sempre recebe das seguintes entidades e empresas:

Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, Ministério Público Estadual, Ministério da Cultura, Solar dos Câmaras, Casa de Cultura Mário Quintana, Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore, Prefeituras Municipais do Rio Grande do Sul, Instituto Municipal da Música IEN, Instituto Estadual de Cinema – IECINE, Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, Warner Music do Brasil, ACIT Comercial Fonográfica, Emi Music do Brasil, Galpão Crioulo Discos, RBS TV: Tele Domingo, Jornal do Almoço, J.A. Notícias Galpão Crioulo; Rádio Rural, Rádio Gaúcha; Rádio Guaíba; Canal Rural; TV COM: Estúdio 36; Diário Gaúcho, Zero Hora, Correio do Povo, Jornal do Nativismo, Diário de Canoas, Associação Rio-grandense de Fundações ARF, SBACEM, Fermata, SOCINPRO, VTF Produções, Ana Terra Produções, Stúdio Nove Produtora, Logic Service Informática, RF Eletrônica, Laboratório Saúde, La Photo Foto Design, Luffing Guitar and Bass, Gemmax, Sul Eventos; Editora Internacional Teixeirinha, Teixeirinha Produções Artísticas bem como seus Conselheiros, fãs, amigos e artistas


.:: Onde estamos ::.
Rua Andrade Neves, 100 CJ 301/302 - Centro - Porto Alegre - RS
cep: 90010-210
Fone/Fax: (51) 3225-3575

BIOGRAFIA DO MITO TEIXEIRINHA

VITOR MATEUS TEIXEIRA, Teixeirinha, nasceu na cidade de Rolante, distrito de Mascaradas, Rio Grande do Sul, em 03 de março de 1927. Filho de Saturno Teixeira e Ledurina Mateus Teixeira, teve um irmão e duas irmãs.

Aos seis anos de idade perdeu o pai e aos nove anos a mãe. Ficando órfão foi morar com parentes, mas estes como não tinham condições de sustentá-lo, saiu pelo mundo fazendo de tudo um pouco, como: trabalhou em granjas do interior e quando veio para Porto Alegre carregou malas em portas de pensões, vendeu doces como ambulante, entregador de viandas, vendeu jornais, enfim fazia qualquer atividade para poder sobreviver.

Com Dezesseis anos se auto-registrou como Cidadão Brasileiro. Aos dezoito anos se alistou no Exército, mas não chegou a servir, quando nesta ocasião foi trabalhar no DAER (Departamento de Estradas de Rodagem), como operador de máquinas durante seis anos. Dali saiu para tentar a carreira artística cantando nas rádios das cidades do interior, tais como: Lajeado, Estrela, Rio Pardo, Santa Cruz do Sul, nesta última conheceu sua esposa Zoraida Lima Teixeira. Casaram-se em 1957 e foram morar em Soledade, em seguida mudaram-se para Passo Fundo, onde compraram um “Tiro ao Alvo” que era cuidado por ele e sua esposa e a noite Teixeirinha se apresentava na Rádio Municipal de Passo Fundo.

Em 1959 foi convidado para gravar em São Paulo. Viajou na segunda classe de um trem. Gravou seu primeiro 78RPM, de um lado a música “Xote Soledade” e do outro lado “Briga no Batizado”.
Segundo depoimento de um dos membros da Gravadora Chantecler, Dr. Biaggio Baccarin, o sucesso assim aconteceu:
“A sigla PTJ, no 78 RPM, abrigava três nomes: Palmeira, Teddy e Jairo, então diretores da Chantecler e fundadores do selo sertanejo. Como se constata, “Coração de Luto” ocupou o lado “B” do quarto disco gravado por Teixeirinha, o qual foi lançado sem qualquer preocupação de sucesso, no entanto aconteceu espontaneamente após seis meses de seu lançamento. As primeiras reações vieram de Sorocaba/SP e em pouco tempo já era sucesso nas demais cidades da região. Foi nessa ocasião que a gravadora Chantecler resolveu trazer o cantor para São Paulo a fim de trabalhar o disco, cujo trabalho teve início com um show na cidade de Sorocaba/SP e, posteriormente, nas demais cidades do Estado de São Paulo, até o triângulo mineiro.

O sucesso aconteceu em todo o Brasil, com venda superior a um milhão de cópias no ano de 1961. Um acontecimento inédito na história da música popular brasileira. Para se ter idéia deste fato, o disco Coração de Luto chegou a ser vendido no câmbio negro em Belém do Pará, havia fila para comprá-lo. A gravadora não tinha condições de atender os pedidos e era obrigada a distribuir cotas para cada loja. O fato de Belém do Pará foi registrado pelo saudoso Edgard Pina, então agente da Chantecler naquela capital”.
Teixeirinha voltou a Passo Fundo, vendeu o “Tiro ao Alvo” e se mudou para Porto Alegre. Foi chamado novamente pela Chantecler, desta vez para morar na capital paulista e continuar a divulgação do sucesso de Coração de Luto, no entanto, recusou domiciliar-se em São Paulo, voltando para Porto Alegre.

Com o que ganhou na excursão em São Paulo, comprou uma casa, no bairro da Glória em Porto Alegre, onde viveu toda sua vida e uma Kombi para viajar por todo o Brasil. Então, definitivamente Teixeirinha assumiu a carreira artística, passando a trabalhar em circos, parques, teatros, cinemas e demais casas de espetáculos. Como o próprio cantor relatou em uma de suas últimas entrevistas à imprensa: “... onde o povo me pediu para estar, eu fui...”(RBS/TV- julho/1985).

Teixeirinha começou a viajar para todo o Brasil como o “Gaúcho Coração do Rio Grande”. Em 1963, ganhou o troféu “Chico Viola” outorgado pela TV Record de São Paulo, no programa “Astros do Disco”, um programa de gala da televisão brasileira e tinha por objetivo premiar os melhores dos disco de cada ano e Teixeirinha ganhou por ter sido o cantor campeão de vendagem por dois anos consecutivos, 1962/1963.
Internacionalmente ganhou o troféu “Elefante de Ouro” como maior vendagem de discos em Portugal.

A música Coração de Luto, até hoje, vendeu mais de vinte e cinco milhões de cópias, a única no mundo mais vendida, superando cantores como Michael Jackson, Julio Iglesias, cantores contemporâneos de grande vendagem de discos, mas não de uma única música, como o caso de Coração de Luto, que continua na cotação de uma das músicas mais vendidas.

Em 1964, Teixeirinha escreveu a história do filme “Coração de Luto”, que foi produzido pela Leopoldis Som, em 1966, outro recorde de bilheteria. Em 1969, encenou no filme “Motorista sem Limites” juntamente com Valter D’Avila, produzido por Itacir Rossi.

Em 1970 criou sua própria produtora “Teixeirinha Produções Artísticas Ltda, pela qual escreveu, produziu e distribuiu dez filmes, quais sejam: “Ela Tornou-se Freira” (1972); “Teixeirinha 7 Provas”(1973); “Pobre João” (1974); “A Quadrilha do Perna Dura” (1975); “Carmem a Cigana (1976); “O Gaúcho de Passo Fundo”(1978) ; “Meu Pobre Coração de Luto”(1978); Na trilha da Justiça (1978); “Tropeiro Velho” (1980); “A Filha de Iemanjá” (1981).

Durante vinte anos, apresentou programas de rádio diariamente com duas edições: “Teixeirinha Amanhece Cantando” (de manhã) e “Teixeirinha Comanda o Espetáculo” (a noite) e “Teixeirinha Canta para o Brasil”(domingos, pela manhã) em diversas rádios da capital, com transmissão para o interior e outros estados brasileiros.

Recebeu nove discos de ouro, foi cidadão emérito de vários municípios como: Passo Fundo, Santo Antônio da Patrulha, Rolante e etc.

Em 1973 foi contratado para fazer quinze apresentações nos Estados Unidos da América. Em 1975 foi para o Canadá, onde realizou dezoito espetáculos. Fez shows na maioria dos países da América do Sul.

Teve nove filhos: Sirley Marisa; Líria Luisa; Victor Filho; Margareth; Elizabeth; Fátima Lisete; Márcia Bernadeth; Alexandre e Liane Ledurina.

Durante vinte e dois anos Mary Terezinha lhe acompanhou com acordeon em shows, rádio e cinema.

Gravou 49 Lps inéditos, com mais de 70 Lps, incluindo regravações, atualmente sendo todos reeditados em disco laser, gravando mais de 700 músicas de sua autoria, deixando um acervo superior a 1200 composições de sua lavra.

Teixeirinha faleceu dia 04 de dezembro de 1985 e está sepultado no Cemitério da Santa Casa, quadra n.4, túmulo n.4, na capital gaúcha.

BIOGRAFIA DO SANTANENSE ILUSTRE

[editar] Biografia e carreira política
Nasceu na estância São Miguel, no Rio Grande do Sul e quando jovem ajudava o pai nas lides campeiras. Estudou em São Paulo; depois, no Rio de Janeiro, onde se bacharelou em Direito em 1902. Após formado, atuou como delegado no Rio de Janeiro ivramento e Uruge como advogado em Santana do Luaiana, destacando-se pela eloqüência.
Em 1909, filiado ao Partido Republicano Rio-Grandense (PRR), iniciou carreira política como deputado estadual. Iniciou seu primeiro mandato como deputado federal em 1912, eleito pelo Ceará. Em 1917, foi reeleito, desta vez pelo seu estado natal, renunciando ao mandato em 1920 para concorrer à prefeitura de Uruguaiana, sendo eleito com expressiva votação. Em 1923, destacou-se como chefe militar legalista na luta que conflagrou o Rio Grande do Sul, opondo os partidários do governador Borges de Medeiros aos oposicionistas liderados por Joaquim Francisco de Assis Brasil. Renovou seu mandato de deputado federal em 1924. Em 8 de outubro de 1925 prendeu Honório Lemes e garantiu sua integridade quando populares quiseram linchá-lo. Reeleito deputado federal em 1927, renunciou em 1928 para ser eleito senador.
Atuou ativamente na Revolução de 1930, que levou Getúlio Vargas à chefia do país em novembro daquele ano. No dia 28 de novembro de 1930 foi nomeado interventor no Rio Grande do Sul. Ajudou a fundar o Partido Republicano Liberal (PRL), em novembro de 1932. Na Revolução Constitucionalista de 1932 permaneceu leal a Getúlio Vargas. Em abril de 1935 foi eleito governador do Rio Grande do Sul, exercendo o mandato até outubro de 1937. No mesmo ano da eleição, já como governador constitucional, começou a se afastar do presidente Vargas. Buscando ampliar sua influência política nacionalmente, envolveu-se em disputas sucessórias em outros estados, como Santa Catarina e Rio de Janeiro. Defensor do federalismo, atritou-se com os setores militares que, como o general Góis Monteiro, defendiam a centralização do poder no governo federal. Em 1937, rompido com Vargas, foi forçado a deixar o governo gaúcho. Exilou-se, então, no Uruguai e só voltou ao Brasil cinco anos depois, durante a Segunda Guerra Mundial, quando cumpriu pena de nove meses na Ilha Grande, no Rio de Janeiro.
Em 1945, participou da fundação da UDN, legenda pela qual se elegeu deputado constituinte Nas eleições para sucessão de Vargas, faz campanha para o Brigadeiro Eduardo Gomes. Reelegeu-se deputado federal em outubro de 1950 e em outubro de 1954, sempre na legenda udenista. Assumiu a presidência da Câmara dos Deputados no dia 8 de novembro de 1955, substituindo o deputado Carlos Luz, que fora empossado na chefia do Executivo Federal em virtude do afastamento de Café Filho por motivos de saúde. Coordenou as sessões que garantiram a posse de Juscelino Kubitschek. No mesmo ano, rompeu com a UDN e renunciou à presidência da Câmara.
Em 1958, aos 78 anos de idade, foi eleito pelo PTB, mas morreu antes do fim do mandato. Foi sepultado em Santana do Livramento.
Precedido por
Sinval Saldanha
Governador do Rio Grande do Sul
1930 — 1937
UM SANTANENSE QUE SEUS CONTERRANEO ESQUECERAM E POUCO LEMBRADO E FOI UM GRANDE HOMEM DAQUELA EPOCA E DEIXOU SUA MARCA NA HISTORIA DO BRASIL.

quinta-feira, 1 de abril de 2010

BANDEIRA DO RS

DURANTE OS 10 ANOS DE LUTA NA GUERRA DOS FARRAPOS, OS FARROUPILHAS IDEALIZARAM UMA BANDEIRA PARA EXALTAR A REPUBLICA RIOGRANDENSE. O QUADRILÁTERO CENTRAL, EM VERMELHO, REPRESENTAVA O MUNDO DAS LUTAS, TINGIDO PELO SANGUE BRAVO DA GUERRA. E ERA ATRAVES DA LUTA DGINA POR SEUS IDEAIS QUE ELES ALCANÇARIAM O PROGRESSOMATERIAL, SIMBOLIZADO PELO TRIANGULO DOURADO, E A PERFEIÇÃO MORAL, REPRESENTADO PELO-ESPERANÇA. A BANDEIRA TRICOLOR TORNOU-SE O SIMBOLO FARROUPILHA MAIS IMPORTANTE, EMPUNHADA COM ORGULHO POR TODOS OS REBELDES QUE LUTAVAM POR AMOR Á REPUBLICA RIO GRANDENSE. APOS A QUERRA, ELA REPOUSOU NA MEMORIA
DOS FARROUPILHAS, AGUARDANDO O RETORNO CERTO E DEFINITIVO.
E FOI NA SEGUNDA METADE DO SÉCULO XIX, IMPULSIONADOS PELA CAMPANHA PARA DERRUBAR A MONARQUIA E ESTABELECER A REPULICA NACIONAL, QUE JOVENS VISIONARIOS POLITICOS, OS CHAMADOS MOCOS DA PROVINCIA;, LIDERADOS POR JULIO DE CASTILHOS, RESGATARAM A BANDEIRA QUE SIBOLIZAVA O IDELA REPUBLICANO FARROUPILHA. AO MANTO ORIGINAL FORAM ACRECENTADAS APENAS DUAS COISAS. APRIMEIRA FOI BRASÃO DE ARMAS CONCEBIDO PELO PADRE HIDELBRANDO E DESENHADO PELO MAJOR BERNARDOS PIRES, ESTAMPADO
NO CENTRO DA FAIXA VERMELHA.
A SEGUNDA FOI O RECONHECIMENTO OFICIAL DE TODA A NAÇÃO, REVERENCIANDO O ANTIGO ESTANDARTE FARROUPILHA COMO BANDEIRA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, MOTIVO DE DEVOÇÃO DOS GAUCHOS E QUE DESDE DIA EM DIANTE TREMULARIA SOBERANA NO HORIZONTE DOS PAMPAS.
MAS O MAIS IMPORTANTE DESTA HISTORIA É QUE ELA NÃO PODE SER LEMBRADAAPENAS COMO HISTORIA. POIS NADA DISSO E PASSADO E UM PRESENTE QUE VIVEMOS HÁ 175 ANOS.

CORRIDA AO PLANALTO

HOJE COMEÇO A CORRIDA AO PALACIO DO PLANALTO O CARGO MAIS COBIÇADO POR QUALQUER, BRASILEIRO QUE ESTA NA POLITICA, QUEM NÃO QUERIA SER PRESIDENTE DO PAIS PARA DESFRUTAR DAS MORDOMIAS E ESTATUS, PERANTE AO SEU POVO E AS OUTRAS NAÇÕES, QUE TEM O MAIOR RESPEITO E CARINHO PELO NOSSO BRASIL.
VEM VINDO AI A GAÚCHA DILMA E DO OUTRO LADO O SERRA LA DE SÃO PAULO, VAMOS VER BEM EM QUE VOTAR E O MELHOR PARA O BRASIL E SEU POVO E TRAGA AOS BRASILEIRO, O QUE MAIS INPORTA EMPREGO SEGURANÇA, SAUDE, E QUE MELHORE O SALARIO DO NOSSO POVO E TIRE O BRASIL DESTA MAIOR CARGA TRIBUTARIA MUNDIAL, ACHO DIFICIL QUALQUER DOS DOIS NÃO VAI RESOLVER A GARGA TRIBUTARIA BRASILEIRA. MAIS UMA COISA E CERTA A DILMA VAI CONTINUAR COM A POLITICA ANTERIOR QUE JA CONHECEMOS E ESTA DANDO CERTA, E TAMBEM E MAIS DO LADO DO POVO TRABALHADOR O SERRA E MAIS DO RICOS EU ABERTAMNETE VOU DE DILMA E DESDE AGORA VOU FAZER CANPANHA PARA DILAMA PORQUE ESSA GAÚCHA VAI DAR CERTO E HONRAR E DEFENDER NOSSO RIO GRADE DO SUL QUE VEM SOFRENDO A ANOS ESPERO QUE AGORA O RIO GRANDE DE UM SALTO E NÃO SOFRA MAIS COMO VEM PAGANDO E RECADANDO E TRABALHANDO E SÓ RECEBE MIGALHAS ESSA E UMA OPINIÃO PESSOAL MINHA, MAS ESPERO QUE O POVO EM GERAL ESCOLHA UM PRESIDENTE QUE GOVERNE PARA TODO O BRASIL E SEUS BRASILEIROS.

quarta-feira, 31 de março de 2010

NOSSOS ARTISTAS GAÚCHO

E venho sempre dizendo por onde passo a nossa musica gaucha esta cheia de talento e grandes artistas da musicas tradicionalista do rs vou falar em alguns nomes que me veio na mente;
TEMOS MANO LIMA DAS BANDAS SE SÃO BORJA , BAITACA TAMBEM DESSAS BANDAS, TEMOS EM URUGUAIANA CIRO CORREIA, J. BARBOSA SANTANA DO LIVRAMENTO E ADIR DE FREIRAS NELSON CARDOSO CRIA DESSA TERRA SEM FALAR EM GAUCHO DA FRONTEIRA E MUITOS OUTROS ETC, me desculpe não colocar mais nomes mais são inumeros talentos do nosso estado cantando a pura musica gaucha uns conhecido nesta fronteira afora outros conhecido ate mais num pedaço do BRASIL, mais um coisa e certa nossos cantores todos tem talento e condições de s´e apresentar em programas nacional da tv como FAUSTÃO CHUCHA E OUTROS PROGRAMAS NACINAIS CONHECIDO DO POVO BRASILEIRO. mais tem uma grande pressão, nacional contra nosso estado do rs de mostrar nossa musica nossa cultura, temos declamadores conpositores de muito talento no rs uma pena e lamentavelmente eles não conseguir chega em nivel nacional como a musica sertaneja, não desprezo a musica certaneja mais a midia do brasil sim despreza nossa musica, la de ves enguando se ve um canal de televisão comentar da nossa musica e de nossa cultura dos nossos cantores de talento e que compoe musicas muito bonita, assim espero ver um dia nossos artistas da musica gaucha no cenario nacional e até internacional talento temos só falta romper certas barreira do preconceito aos artistas cantores da musica tradicional do ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL.

O BRASIL E SUAS LEIS

O BRASIL e um pais que tem tantas leis e direitos que da ao nosso povo que seria um exemplo a varios paises do nosso continente, mais ao mesmo tempo a maioria não e comprida e nem seguer quetionada a quem deve protejer zelar pela segurança da nossa sociedade, temos leis que vem protejer os mais abastados ate os mais humilde assim, por diante vivemos num pais maravilhoso, mais de que adianta ter tantas leis e a cada dia que se ler um jornal ou ligar um radio , ver televisão deparemos com horror da violencia da inpunidade da falta de respeito com pessoas que não tem o seguer a dignidade de dizer eu sou BRASILEIRO.
Assim eu vejo hoje ao olhar o jornal do almoço da RBSTV do RS VI O ESTATUTO DO
IDOSO LEI N 10.741, DE 01 de OUTUBRO DE 2003 ir parar encavetada nos escritorios ou nos mais altos orgão governamental do nosso pais, ver o abuso que uma casa de idoso faz aos velhinhos que ali abriga numa cidade DA NOSSA CAPITAL DO ESTADO DA GRANDE PORTO ALEGRE,A SSIM VEJO OUTRO ORRORES AOS NOSSOS IDOSSOS POR VARIAS PARTE DO NOSSO BRASIL E TUDO FICA SO NO BL´A BLÁ BLÁ e lamentavel ver a falta de cumprimento das leis do nosso BRASIL , assim acontese com as leis de transito que matam no brasil. , e deixa nossos jovem em cadeiras de roda outros completamente inutil para o resto da vida, por deixar motoristas embriagado na direção gente inrresponsaveis ter direito de dirigir, ai vem com aquela de 20 pontos na carteira sua carteira e casada, balela comversa pra boi dormi na sombra.
ja vi atraves de jornal televião etc gente que mata em acidente de transito e dai a poucos dias já esta no volante neste pais de tantas leis e moralidade que prega ao seus cidadãos, se foce escrever tudo que acontece de errado levaria um ano apontando os erros de não cumprimento das leis do BRASIL, espero que acabe com essa babozeira toda um dia que nos possamos deixar aos filhos e netos um pais livre da inpunidade da racismo do preconceito e da discriminação , que as leis são feitas só para quem tem dinheiro, quero ver aos senhores poderosos do nosso pais se eles são imortais ou pensão que o dia que morrerem vão levar fortunas acumulada dentro do caixão, e pura ilusão das pessoas isso aqui nada e nosso isso pertense a NATUREZA ela apenas nos dá o direito de desfrutar enquanto estamos por essa pequena paisagem por sinal muito curta se nos pensar com claresa e realidade o maximo que vivemos e 70 ou 75 anos lucido para poder ter o direito de ir e vir o resto somos comandado por pessoas que nem conhecemos e se vacilar vamos voltar a apanhar de novo, E LAMENTVEL O QUE FAZEM COM NOSSOS VELHINHOS E CRIANÇAS DO NOSSO BRASILLLLLLLLLLL.

terça-feira, 30 de março de 2010

O MITO GAUCHO

Em 03 DE MARÇO DE 1927 NASCIA UM HOMEM QUE MAIS TARDE TORNARIA-SE O MITO GAUCHO DO RS COM SUA FORÇA E DO SEUS SEGUIDORES FÁS ESPALHADO POR TODO BRSIL E EXTERIOR ESTOU FALANDO DO CANTOR VICTOR MATHEUS TEIXEIRA (TEIXERINHA) um homem que veio da humildade sofrendo desde pegueno pasando fome frio como suas proprias musicas falam, e quem ler o livro lançado pelo gaucho ISRAEL LOPES TITULO O GAUCHO CORAÇÃO DO RIO GRANDE. E EM TEMPO ANOS ATRAS A PAULISTA ESCRITORA MIRIAM DE SOUSA ROSSINI LANÇOU O LVRO TEIXEIRINHA E O CINEMA GAUCHO.
tenho orgulho de ser um fá desde os meus 11 anos de idade deste artista que encantou e atravessou fronteiras cantando suas musicas garvou 67 lps e 04 lonpleis no longo de sua carreira deixou mais de mil e quinhentas canções escritas conforme depoimentos de amigos e familiares deste gaucho que se tornou o mito que ate hoje vende cds e esta no BRASIL em terceiro lugar na venda de cds relançandos suas belas musicas e canções
conforme li num artigo do jornal ZERO HORA publicado a meses atras. nos gauchos devemos nos ter orgulho de ter um cantor e conpositor como TEIXEIRINHA hoje varios artistas cantam suas musicas e regravam para prestarlhe uma homenagem mais do que justa, eu me tornei adulto escutando teixeirina gildo de fritas e mais tarde jose mendes, cada um com sua caracteristica musical. mais teixerinha ainda deixou para nosso orgulho 12 filmes, que fizeram grande susseço aqui e fora do BRASIL. só tem uma coisa certa a midia nacional não da bola para os talentos gaucho, principalmente aqueles que divulgão nossas tradições e cultura do nosso estado. Mais uma coisa e certa faz bem pouco tempo que nos perdemos o medo de divulgar a cultura gaucha e nossas tradições eu me lenbro que em 20 de setembro de 1967, eu vim do interior para desfilar em SANTANA DO LIVRAMENTO, EU TINHA 12 ANOS DE IDADE E ME LEMBRO COMO HOJE AS PESSOAS, NA RUA CHAMANDO A GENTE DE GROSSO E GUASCA DE CAMPANHA, mais eu nunca tive medo de me vestir de gaucho desde pegueno e digo grosso e sem cultura e sem respeito e aquele que ve um gaucho ostentando suas tradições e cultura desde que esteja dentro do respeito e quem respeita deve de ser respeitado não emporta cor raça se tem dinheiro ou se não tem. assim fez esse homem com orgulho com respeito divulgou o RIO GRANDE DO SUL PARA O BRASIL E LEVOU A NOSSA CULTURA GAUCHA ALEM FRONTEIRAS. ele mereçe nosso respeito e adimiração por todos os gauchos, eu tinha um programa na radio local por nome ENTTARDECER NA FRONTEIRA COM O GAUCHO ALDO VARGAS e fez muito sucesso toando musicas de teixeirinha e gildo ate hoje me perguntam por onde passo porque parei falta de apoio e patrocinio simplismente isso.
mais enquanto viver e puder fazer radio e apresentar programs as musicas deste gaucho sempre vão ser tocada, seja radio que eu tiver sempre vou estar homenageando o SENHOR VICTOR MATHEUS TEIXEIRA O POPULAR (TEIXERINHA)

O AMARGO DA PAZ.

NA PRIMEIRA METADE DO SECULO XVI, O USO DA ERVA MATE SE ALSTROU ENTRE OS ESPANHOIS DE ASSUNÇÃO. O QUE ORIGINOU SEU COMERCIO EXTRATIVO E PROGRESSIVO CONSUMO. OS PADRES PREOCUPADOS COM A UTILIZAÇÃO DE UMA ERVA DOADA, SEGUNDO OS GUARANIS, POR UM DEUS PAGÃO, PASSARAM A OSTILIZA-LA. INICIARAM, ENTÃO UMA CAMPANHA CONTRA ERVA, DIZENDO QUE ELA ESTAVA SENDO ENVENENADA PELOS INDIOS, COM OBJETIVO DE DEBILITAR OS ESPANHOIS E, COMO EFEITO, RECONQUISTAR AS TERRAS DOMINADAS, DAI ORIGINOU-SE UM COSTUME DO GAUCHO, QUE PERCISTE ATE NOSSOS DIAS DE HOJE.
CONTRA TODOS OS PRINCIPIO DE EDUCAÇÃO TOMAR O PRIMEIRO MATE, AO INVES DE OFERECER AO VISITANTE.
FRACASSADA ESSA CAMPANHA, OS PADRES PARTIRAM PARA A ADOÇÃO DE UMA POLITICA REALISTA, ECONOMICA, E INDUSTRIALIZANDO A SOBRETUDO PORQUE A QUALIDADE DA ERVA PLANTADA ERA SUPERIOR A DA ERVA NATIVA.
POI SIM DESDE AQUELA EPOCA OS PADRES NÃO PREGÃO PREGO SEM ISTMA MINHA GENTE.

Arquivo do blog