TRANS. DO PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO PECUARIA EM 19/11/2009

TRANS.  DO  PROGRAMA ENTARDECER NA FRONTEIRA DIRETO  PECUARIA EM  19/11/2009
ALDO VARGAS

TRADIÇÃO E CULTURA

teixeirinha

Loading...

gildo

Loading...

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA AMADA.

SANTANA LIVRAMENTO MINHA TERRA  AMADA.

Pesquisar este blog

CAPITAL GAUCHA PORTO ALEGRE

CAPITAL GAUCHA  PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

ESTADIO BEIRA RIO PORTO ALEGRE

TROPEIRO VELHO

  • TROPEIRO VELHO

TRADIÇÃO E CULTURA

A VOCE CARO VISITANTE E UM PRAZER TER AQUI VISITANDO ESTE BLOG DESTE GAÚCHO, QUE NÃO TEM LADO PARA CHEGAR, GOSTO DE UMA AMIZADE E UM BOA CHARLA, TRATO TODOS COM RESPEITO PARA SER RESPEITADO MAS SE FOR PRECISO QUEBRO O CHAPEU NA TESTA PRA DEFENDER UM AMIGO AGARRO UM TIGRE A UNHA. AGRADEÇO A TODOS QUE DEIXAM SEU RECADO, POSTADO NESTE BLOG.

GALPÃO GAUCHO

GALPÃO  GAUCHO

A BANDEIRA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, TE AMO MEU RIO GRANDE

A  BANDEIRA  DO  ESTADO  DO  RIO GRANDE  DO  SUL,  TE  AMO  MEU  RIO  GRANDE

segunda-feira, 19 de julho de 2010

ORAÇÃO DE SÃO JORGE O SANTO QUERREIRO

São Jorge - O santo guerreiro

Dia: 23 de abril


Hist�ria

Em torno do s�culo III D.C., quando Diocleciano era imperador de Roma, havia nos dom�nios do seu vasto Imp�rio um jovem soldado chamado Jorge. Filho de pais crist�os, Jorge aprendeu desde a sua inf�ncia a temer a Deus e a crer em Jesus como seu salvador pessoal.


Nascido na antiga Capad�cia, regi�o que atualmente pertence � Turquia, Jorge mudou-se para a Palestina com sua m�e ap�s a morte de seu pai. L� foi promovido a capit�o do ex�rcito romano devido a sua dedica��o e habilidade - qualidades que levaram o imperador a lhe conferir o t�tulo de conde. Com a idade de 23 anos passou a residir na corte imperial em Roma, exercendo altas fun��es.


Por essa �poca, o imperador Diocleciano tinha planos de matar todos os crist�os. No dia marcado para o senado confirmar o decreto imperial, Jorge levantou-se no meio da reuni�o declarando-se espantado com aquela decis�o, e afirmou que os os �dolos adorados nos templos pag�os eram falsos deuses.


Todos ficaram at�nitos ao ouvirem estas palavras de um membro da suprema corte romana, defendendo com grande ousadia a f� em Jesus Cristo como Senhor e salvador dos homens. Indagado por um c�nsul sobre a origem desta ousadia, Jorge prontamente respondeu-lhe que era por causa da VERDADE. O tal c�nsul, n�o satisfeito, quis saber: "O QUE � A VERDADE ?". Jorge respondeu: "A verdade � meu Senhor Jesus Cristo, a quem v�s perseguis, e eu sou servo de meu redentor Jesus Cristo, e nele confiado me pus no meio de v�s para dar testemunho da verdade."


Como S�o Jorge mantinha-se fiel a Jesus, o Imperador tentou faz�-lo desistir da f� torturando-o de v�rios modos. E, ap�s cada tortura, era levado perante o imperador, que lhe perguntava se renegaria a Jesus para adorar os �dolos. Jorge sempre respondia: "N�o, imperador ! Eu sou servo de um Deus vivo ! Somente a Ele eu temerei e adorarei". E Deus, verdadeiramente, honrou a f� de seu servo Jorge, de modo que muitas pessoas passaram a crer e confiar em Jesus por interm�dio da prega��o daquele jovem soldado romano. Finalmente, Diocleciano, n�o tendo �xito em seu plano macabro, mandou degolar o jovem e fiel servo de Jesus no dia 23 de abril de 303. Sua sepultura est� na L�dia, Cidade de S�o Jorge, perto de Jerusal�m, na Palestina.


A devo��o a S�o Jorge rapidamente tornou-se popular. Seu culto se espalhou pelo Oriente e, por ocasi�o das Cruzadas, teve grande penetra��o no Ocidente.


Verdadeiro guerreiro da f�, S�o Jorge venceu contra Satan�s terr�veis batalhas, por isso sua imagem mais conhecida � dele montado num cavalo branco, vencendo um grande drag�o. Com seu testemunho, este grande santo nos convida a seguirmos Jesus sem renunciar o bom combate.


Lendas: um horr�vel drag�o sa�a de vez em quando das profundezas de um lago e se atirava contra os muros da cidade trazendo-lhe a morte com seu mort�fero h�lito. Para ter afastado tamanho flagelo, as popula��es do lugar lhe ofereciam jovens v�timas, pegas por sorteio. um dia coube a filha do Rei ser oferecida em comida ao monstro. O Monarca, que nada p�de fazer para evitar esse horr�vel destino da tenra filhinha, acompanhou-a com l�grimas at� �s margens do lago. A princesa parecia irremediavelmente destinada a um fim atroz, quando de repente apareceu um corajoso cavaleiro vindo da Capad�cia. Era S�o Jorge.


O valente Guerreiro desembainhou a espada e, em pouco tempo reduziu o terr�vel drag�o num manso cordeirinho, que a jovem levou preso numa corrente, at� dentro dos muros da cidade, entre a admira��o de todos os habitantes que se fechavam em casa, cheios de pavor. O misterioso cavaleiro lhes assegurou, gritando-lhes que tinha vindo, em nome de Cristo, para vencer o drag�o. Eles deviam converter-se e ser batizados.



Datas Marcantes No s�culo XII, a arte, literatura e religiosa popular representam S�o Jorge, como soldado das cruzadas com manto e armadura com cruz vermelha, nobre um cavalo branco, com lan�a em punho, vencendo um drag�o. S�o Jorge � o cavaleiro da cruz que derrota o drag�o do mal, da domina��o e exclus�o.


Desde o s�culo VI, havia peregrina��es ao t�mulo de S�o Jorge em L�dia. Esse santu�rio foi destru�do e reconstru�do v�rias vezes durante a hist�ria.


Santo Estev�o, rei da Hungria, reconstruiu esse santu�rio no s�culo XI. Foram dedicadas numerosas igrejas a S�o Jorge na Gr�cia e na S�ria.


A devo��o a S�o Jorge chegou � Sic�lia na It�lia no s�culo VI. No s�c. VII o siciliano Papa Le�o II construiu em Roma uma igreja para S. Sebasti�o e S. Jorge. No s�c. VIII, o Papa Zacarias transferiu para essa igreja de Roma a cabe�a de S. Jorge.


A devo��o a S�o Jorge chegou a Inglaterra no s�culo VIII. No ano de 1101, o ex�rcito ingl�s acampou na L�dia antes de atacar Jerusal�m. A Inglaterra tornou-se o pa�s que mais se distinguiu no culto ao m�rtir S�o Jorge...


Em 1340, o rei ingl�s Eduardo III instituiu a Ordem dos cavaleiros de S�o Jorge.


Foi o Papa Bento XIV (1740-1758) que fez S�o Jorge, padroeiro da Inglaterra at� hoje.


Em 1420, o rei h�ngaro, Frederico III (1534) evoca-o para lutar contra os turcos.


As Cruzadas Medievais tornaram popular no ocidente a devo��o a S�o Jorge, como guerreiro, padroeiro dos cavaleiros da cruz e das ordens de cavalaria, para libertar todo pa�s dominado e para converter o povo no cristianismo.


Seu dia foi colocado no Calend�rio particular da Igreja, isto �, celebrados nos lugares de sua devo��o.


O Sr. Cardeal D. Eugenio Sales, assim se pronunciou: "A devo��o de S�o Jorge nos deve levar a Jesus Cristo". Pela palavra do Cardeal Sales sentimos a autenticidade do Culto a S�o Jorge.



A quem ajuda: � a for�a de Deus na luta dos exclu�dos e marginalizados da sociedade.

Ora��o a S�o Jorge



Eu andarei vestido e armado com as armas de S�o Jorge para que meus inimigos, tendo p�s n�o me alcancem, tendo m�os n�o me peguem, tendo olhos n�o me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal.


Armas de fogo o meu corpo n�o alcan�ar�o, facas e lan�as se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar.


Jesus Cristo, me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina gra�a, Virgem de Nazar�, me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e afli��es, e Deus, com sua divina miseric�rdia e grande poder, seja meu defensor contra as maldades e persegui��es dos meu inimigos.


Glorioso S�o Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua for�a e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a v�s. Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Esp�rito Santo.


S�o Jorge Rogai por N�s.

Ora��o a S�o Jorge II



S�o Jorge,cavaleiro corajoso, intr�pido e vencedor; abre os meus caminhos, ajuda-me a conseguir um bom emprego; faze com que eu seja bem quisto por todos superiores, colegas, e subordinados; que a paz, o amor e a harmonia estejam sempre presentes no meu cora��o, no meu lar e no meu servi�o; meus inimigos ter�o os olhos e n�o me ver�o, ter�o boca e n�o me falar�o, ter�o p�s e n�o me alcan�ar�o, ter�o m�os e n�o e n�o me ofender�o.


S�o Jorge vela por mim e pelos meus, protegendo-me com suas armas.


O meu corpo n�o ser� preso nem ferido, nem meu sangue derramado; andarei t�o livre como andou Jesus Cristo nove meses no ventre da Virgem Maria.


Am�m.


Ora��o a S�o Jorge III




� Deus onipotente,
Que nos protegeis
Pelos m�ritos e as b�n��os
De S�o Jorge.
Fazei que este grande m�rtir,
Com sua coura�a,
Sua espada,
E seu escudo,
Que representam a f�,
A esperan�a,
E a intelig�ncia,
Ilumine os nossos caminhos...
Fortale�a o nosso �nimo...
Nas lutas da vida.
D� firmeza
� nossa vontade,
Contra as tramas do maligno,
Para que,
Vencendo na terra,
Como S�o Jorge venceu,
Possamos triunfar no c�u
Convosco,
E participar
Das eternas alegrias.
Am�m!








Medalha de S�o Jorge


Moacyr Luz e Aldir Blanc


Fica ao meu lado, S�o Jorge Guerreiro Com tuas armas, teu perfil obstinado
Me guarda em ti, meu Santo Padroeiro
Me leva ao c�u em tua montaria
Numa visita a lua cheia
Que � a medalha da Virgem Maria
Do outro lado, S�o Jorge Guerreiro
P�e tuas armas na medalha enluarada
Te guardo em mim, meu Santo Padroeiro
A quem recorro em horas de agonia
Tenho a medalha da lua cheia
Voc� casado com a Virgem Maria
O mar e a noite lembram a Bahia
Orgulho e for�a, marcas do meu guia
Conto contigo contra os perigos
Contra o quebrando de uma paix�o
Deus me perdoe essa intimidade:
Jorge me guarde no cora��o
Que a malvadeza desse mundo � grande em extens�o
E muita vez tem ar de anjo
E garras de drag�o

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Arquivo do blog